Sem ministro da Saúde, Brasil tem 14.817 mortes por Covid-19; 824 em 24h

Informações foram divulgadas pelo Ministério da Saúde nesta sexta (15/05), em dia de turbulência após pedido de demissão de Nelson Teich

atualizado 15/05/2020 23:23

O exame de sangue é necessário para saber se a pessoa já teve o coronavírus antesHugo Barreto/Metrópoles

Sem comando depois do pedido de demissão de Nelson Teich, o Ministério da Saúde divulgou, na noite desta sexta-feira (15/05), que foram registradas 824 mortes nas últimas 24h, com o número de óbitos por coronavírus chegando a 14.817 desde o início da epidemia. O Brasil é o 6º país com mais mortes no mundo e, segundo afirma a própria equipe técnica do órgão, não há perspectiva, neste momento, de que as curvas de contágio e de óbitos se estabilizem ou diminuam.

A título de comparação, o acidente com o avião da Latam que escorregou da pista de pouso, uma das maiores tragédias do país, matou 199 pessoas. A queda do avião da Chapecoense teve 71 falecimentos. O rompimento da barragem de Brumadinho matou 259.

Quanto aos casos confirmados, o ministério diz que já foram diagnosticados 218.223 pacientes, aumento de 15.305 em um dia. Os estados com mais ocorrências e óbitos registrados são São Paulo, Ceará, Rio de Janeiro, Pernambuco e Amazonas – na quinta, o Ceará ultrapassou o Rio de Janeiro.

De acordo com especialistas, a quantidade real de infectados pode ser até 16 vezes maior do que a divulgada pelo Ministério da Saúde – a falta de testes é uma das principais causas de subnotificação no país.

Para tentar segurar o avanço da epidemia no Brasil, estados e municípios estão decretando medidas de isolamento, alguns chegam a instituir o lockdown, onde a circulação de pessoas é interrompida e apenas serviços essenciais permanecem funcionando.

0

Últimas notícias