Pessoas em jornadas extenuantes têm 45% mais chance de sofrer infarto

Estudo francês com 143 mil pessoas mostra que cargas diárias superiores a 10 horas por períodos prolongados aumentam risco cardíaco

atualizado 01/07/2019 13:33

valentinrussanov/Getty Images

Você já trabalhou por mais de 10 horas por dia por pelo menos 50 dias no ano por uma década? Suas chances de ter um infarto daqui a sete anos são 45% maiores do que as de quem se ateve às oito horas de expediente. E mais uma informação: pessoas com menos de 50 anos são mais suscetíveis a passar pelo problema.

A conclusão do hospital Paris, em Versalhes, foi baseada em um estudo com 143 mil franceses. Entre os voluntários, 42.542 (29%) responderam que tinham trabalhado por mais de 10 horas diárias por uma década e, nos sete anos que se seguiram, 1.224 sofreram infartos.

De acordo com a pesquisa, quem trabalha muito tem 29% mais chance de ter problemas cardíacos – a porcentagem sobe para 45% se a jornada excessiva perdurar por 10 anos.

Não é a primeira vez que longas horas de trabalho são relacionadas com doenças no futuro: uma pesquisa com 85 mil britânicos e escandinavos que trabalhavam mais de 55 horas por semana descobriu que essa população é 40% mais suscetível a desenvolver fibrilação atrial, uma mudança irregular nos batimentos cardíacos.

Com o estudo, os médicos franceses pretendem alertar a população sobre o trabalho excessivo, principalmente profissionais de saúde que emendam plantões. “Eu gostaria de enfatizar que muitos trabalhadores dessa área trabalham muito mais do que a definição de ‘longas horas’ e podem estar ainda mais em risco de sofrer um infarto”, afirmou Alexis Descartha, responsável pela pesquisa, em entrevista ao Daily Mail. “Como médico, irei aconselhar meus pacientes a trabalhar com mais eficiência, e planejo seguir meu próprio conselho”.

Últimas notícias