“Não teremos medidas intempestivas”, afirma Nelson Teich

Ministro da Saúde afirmou que diretrizes para fim da quarentena serão definidas de acordo com realidade de cada uma das regiões do país

Rafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 27/04/2020 19:13

Em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (27/04), o ministro da Saúde Nelson Teich, afirmou que as diretrizes para a saída da quarentena serão tomadas de acordo com a realidade de cada parte do país. “Não teremos medidas intempestivas quanto ao isolamento, mas recomendações diferentes para cada localidade”, disse.

A pasta deve publicar ainda nesta semana as diretrizes customizadas para flexibilizar o isolamento de municípios e estados.

O secretário de vigilância em saúde Wanderson de Oliveira, que fazia parte da equipe anterior, voltou a afirmar que não é possível cravar quando será o pico do coronavírus no Brasil. A expectativa do governo é ele chegue em momentos diferentes em cada localidade.

Segundo Wanderson, historicamente, a região Norte tem um padrão de transmissão de vírus respiratório entre março e abril, o que explicaria a situação atual do estado do Amazonas. O sul e sudeste do país, em contrapartida, só passam por esse momento entre maio e junho. “Estamos na semana epidemiológica 18, e esse pico costuma acontecer entre as semanas 20, 22 e 27”, explicou o secretário.

Últimas notícias