Coronavírus: “De 60 a 90 dias de muito estresse”, diz Mandetta

Luiz Henrique Mandetta explica que a vida da população só deve voltar ao normal em agosto ou setembro, dependendo da imunidade das pessoas

atualizado 17/03/2020 18:31

Em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (17/03), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que o Brasil terá “de 60 a 90 dias de muito estresse” lidando com o coronavírus.

Segundo o ministro, o número de casos confirmados deve crescer muito nos próximos dias – houve aumento expressivo na quantidade de casos suspeitos, de 2.064 para 8.819 em 24h, decorrente de uma digitalização do sistema.

“Estamos prevendo trabalhar com espirais ascendentes em abril, maio e junho. Em julho pretendemos entrar no platô e em agosto, setembro, se construirmos uma imunidade em pelo menos 50% da população, voltar à vida normal”, diz Mandetta.

Apesar do grande número de casos, o ministro considera que a evolução da doença está dentro do esperado. “Está ocorrendo dentro do que imaginávamos, mas não temos bola de cristal e estamos trabalhando com as informações mais recentes. Por mais difícil que seja, não é a primeira epidemia que enfrentamos”, disse.

O secretário substituto de Vigilância em Saúde, Julio Croda, afirma que não é possível prever quando exatamente será o pico da epidemia no Brasil: é preciso esperar para ver se as medidas restritivas impostas pelos estados foram seguidas e apresentaram, de fato, diminuição no contágio.

Últimas notícias