Estudo mostra que sintomas da Covid-19 podem durar mais de um mês

Pesquisadores da UFRJ identificaram que, em muitos casos, a carga viral permanece alta entre 14 e 21 dias, indicando risco de contaminação

atualizado 14/09/2020 10:45

ilustração de coronavírusGettyImages

Um estudo do Centro de Triagem e Diagnóstico (CTD) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) mostrou que algumas pessoas com a Covid-19 podem permanecer contagiosos por mais de 30 dias. Isso significa até duas semanas a mais do que o tempo estabelecido por autoridades de saúde para liberar pacientes do isolamento.

De acordo com a pesquisa divulgada pelo jornal O Globo, até 20% dos pacientes continuam com o vírus ativo no organismo por mais de um mês depois do aparecimento dos primeiros sintomas. Enquanto isso, 60% deles ficam por apenas 14 dias.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde estabeleceram 14 dias como a média do período de contágio da Covid-19.

Os pesquisadores do Rio de Janeiro observaram que alguns assintomáticos permanecem positivo por um longo período de tempo. Eles sustentam que três semanas é o tempo ideal para liberar uma pessoa do isolamento social, uma vez que a carga viral permanece elevada por cerca de 14 a 21 dias, com alto risco de contaminação.

Os mesmos pesquisadores identificaram uma paciente brasileira que permaneceu contagiosa por cinco meses. Eles constataram que se tratava da mesma infecção. O caso foi o mais duradouro documentado até o momento.

0

 

Últimas notícias