Entidade alerta para aumento de ratos e baratas durante isolamento social

População deve evitar o acúmulo de lixo nas residências para evitar circulação de vetores de doenças

atualizado 17/06/2020 15:39

Lixo na ruaMyke Sena/ Especial para o Metrópoles

O isolamento social provocado pela pandemia de Covid-19, definitivamente, mexeu com a rotina e o modo de vida das pessoas. As restrições ao funcionamento do comércio também têm provocado reações nas chamadas pragas urbanas. A Associação dos Controladores de Vetores (Aprag) emitiu um alerta sobre o aumento da circulação de ratos, baratas e outros vetores próximo às residências.

O acúmulo de resíduos em casas e o descarte de lixo perto delas têm atraído insetos e roedores. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos também já chamou atenção para esse comportamento.

“Eles não estavam encontrando um ambiente favorável, com alimentação e abrigo em determinados locais que estavam fechados, e começaram a migrar para outros locais, aumentando assim sua população”, afirma o vice-presidente da Aprag, Sérgio Bocalini.

O reflexo dessa fartura de lixo próximo aos ambientes domésticos exige cuidado maior para se evitar doenças como dengue, zika, chikungunya, leptospirose, entre outras. “Se a pessoa não tiver uma preocupação forte em manter os ambientes bem limpos e higienizados, existe a tendência forte do aumento da população de pragas e, consequentemente, dos problemas relacionados a elas”, reforça Bocalini.

O alerta da associação ganhou força nos últimos dias também devido à flexibilização do período de quarentena, já que a população volta às ruas no momento em que há mais vetores de doenças em circulação. (Com informações da Agência Brasil)

Mais lidas
Últimas notícias