Entenda quais são os critérios da OMS para descartar coronavírus

Além de sintomas de gripe, como febre e tosse, paciente precisa ter estado na cidade de Wuhan ou mantido contato com infectado confirmado

Getty ImagesGetty Images

atualizado 23/01/2020 14:48

Em coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (23/01/2020), o secretário substituto de vigilância em saúde do Ministério da Saúde Julio Croda afirmou que o Brasil já teve cinco casos suspeitos de coronavírus e todos foram descartados pelos critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Croda explica que um caso suspeito precisa seguir critérios clínicos e epidemiológicos. Como os sintomas do coronavírus são genéricos (febre, tosse e dificuldade para respirar), é necessário que as informações sejam cruzadas com o histórico do paciente.

Segundo a OMS, além dos sinais físicos, o paciente precisa ter estado nos 14 dias anteriores ao início dos sintomas na cidade de Wuhan, na China, único lugar no mundo onde foi detectada transmissão local (confirmação laboratorial de transmissão entre pessoas com vínculo epidemiológico comprovado), ou mantido contato próximo com um infectado confirmado. Outra possibilidade é que, no mesmo intervalo, o paciente tenha tido contato próximo com amostras laboratoriais de casos confirmados do coronavírus.

O secretário substituto diz que nenhum dos casos suspeitos descartados pela pasta se encaixa em algum dos três critérios epidemiológicos. “Não temos casos suspeitos de coronavírus no Brasil, por enquanto. O governo ativou o comitê de operação de emergência nível 1 e tem reuniões diárias para monitorar novidades no mundo inteiro e preparar o país para responder de maneira adequada caso o vírus chegue aqui.”

Croda afirma que em cerca de 50% dos casos de síndrome gripal não é possível determinar com certeza o agente causador da doença. Na maioria das vezes, um dos subtipos do vírus influenza é o responsável e, por isso, o padrão é testar os pacientes para esse tipo de micro-organismo. Os cinco pacientes descartados não devem passar pelo exame para detectar o coronavírus, pois não se enquadram nos critérios da OMS. Caso apareça um caso suspeito que se encaixe, o Ministério da Saúde providenciará o teste.

Portos, aeroportos e fronteiras
A OMS não definiu um estado de emergência internacional e, por enquanto, não há recomendação de triagem e checagem de temperatura corporal de viajantes que chegam da China. Não há também orientação para adiar ou cancelar viagens programadas ao país asiático. O órgão deve se pronunciar nesta quinta (23/01/2020) sobre as recomendações internacionais para evitar a transmissão da doença.

Últimas notícias