Doença misteriosa: polícia recolhe produtos na cervejaria Backer

Agentes investigam a hipótese de que produtos fabricados pela empresa estejam ligados à doença misteriosa que já matou uma pessoa em MG

iStock

atualizado 09/01/2020 21:32

A Polícia Civil de Minas Gerais esteve na sede da cervejaria Backer, em Belo Horizonte, na tarde desta quinta-feira (09/01/2020) para investigar a suspeita de que produtos fabricados pela empresa estejam ligados à doença misteriosa que já matou uma pessoa no estado. A corporação informou ao Metrópoles que divulgaria mais informações ainda esta noite, via live.

A enfermidade afeta exclusivamente homens que passaram o fim de ano em Buritis, bairro localizado na cidade. Na terça-feira (07/01/2020), um paciente de 55 anos faleceu após ter os sintomas. Morador de Juiz de Fora, ele passou o Réveillon na casa da filha, que vive na região. O marido dela também está internado.

Até a última atualização desta reportagem, nove casos suspeitos haviam sido comunicados às autoridades públicas, sendo que um deles foi descartado, pois o paciente sofria de doença renal prévia. Os sintomas iniciais são náuseas, vômitos e dores abdominais, e evoluem rapidamente para insuficiência renal aguda com manifestações neurológicas, como paralisia facial, vista borrada, cegueira total ou parcial.

A Secretaria de Saúde de Minas Gerais solicitou que o Ministério da Saúde colaborasse com as apurações. Na terça-feira (07/01/2020), uma equipe de epidemiologistas de Brasília foi enviada para ajudar na investigação, na confirmação diagnóstica, na busca e descrição dos casos, no levantamento e na análise de hipóteses sobre o modo de adoecimento para o desencadeamento de ações de prevenção e controle da doença.

Nas redes sociais, circulam boatos de que o problema de saúde seria causado pela ingestão de cervejas da Backer, uma conhecida fábrica de cervejas artesanais da cidade. Outra versão seria a de que o problema teria sido causado por produtos vendidos em um supermercado local.

A Secretaria de Saúde de Minas Gerais afirma que as duas principais linhas de investigação para determinar a causa da doença são intoxicação exógena (efeitos nocivos ao organismo provocados por contato com um ou mais agentes tóxicos) ou contaminação causada por agente infeccioso (vírus, bactérias ou fungos, por exemplo).

Em nota, a cervejaria Backer declarou que está colaborando com os órgãos públicos de saúde. Na terça-feira (07/01/2020), a fábrica recebeu agentes do Ministério da Agricultura que realizaram uma inspeção completa no local.

Últimas notícias