Doença misteriosa: Ministério da Saúde envia equipe a MG

Epidemiologistas vão colaborar na investigação do problema de saúde que causou a morte de uma pessoa e a internação de outras 7

atualizado 09/01/2020 13:34

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O Ministério da Saúde enviou uma equipe especializada em epidemiologia para Belo Horizonte (MG) para colaborar nas investigações sobre a doença misteriosa que, até aqui, afeta exclusivamente homens que passaram as festas de fim de ano em Buritis, bairro localizado na cidade. Na terça-feira (07/01/2020), um paciente de 55 anos faleceu em decorrência da doença, ele passou o fim de ano na casa da filha, cujo marido também está internado.

Até aqui 9 casos suspeitos foram comunicados às autoridades públicas, sendo que um deles foi descartado pois o paciente sofria de doença renal prévia. A doença possui como sintomas iniciais náuseas, vômitos e dores abdominais e evolui, rapidamente, para insuficiência renal aguda com manifestações neurológicas.

Os profissionais enviados a MG vão colaborar na investigação epidemiológica, confirmação diagnóstica, na busca e descrição dos casos, no levantamento e na análise de hipóteses sobre o modo de adoecimento para o desencadeamento de ações de prevenção e controle da doença.

Para ajudar na identificação de casos, a Secretaria de Saúde de Minas Gerais elaborou nota técnica para os hospitais da rede pública e particular: casos de pacientes que, a partir de 01/12/2019, tenha iniciado sintomas gastrointestinais (náusea, vômito e dor abdominal), associados a insuficiência renal aguda grave de evolução rápida (em até 72 horas), seguida de uma ou mais alterações neurológicas, como paralisia facial, vista borrada, cegueira total ou parcial, precisam ser comunicados às autoridades locais.

As linhas de investigação  para determinar a causa da doença são intoxicação exógena (efeitos nocivos ao organismo provocados por contato com um ou mais agentes tóxicos) ou contaminação causada por agente infeccioso (vírus, bactérias ou fungos, por exemplo). Na cidade, correm boatos de que produtos comprados em um supermercado do bairro Buritis estariam estragados e teriam causado o problema nas pessoas que os ingeriram.

Últimas notícias