Covid-19: Reino Unido avança na flexibilização e autoriza abraços

Esta segunda-feira (17/05) marca a reabertura de museus, cinemas, e serviço interno para bares e restaurantes

atualizado 17/05/2021 16:37

Unsplash

O Reino Unido avançou ainda mais, nesta segunda-feira (17/5), na flexibilização de medidas restritivas instauradas no país em decorrência da pandemia de Covid-19. Abraços, serviços de bares e restaurantes em ambientes internos, reabertura de museus e viagens ao exterior agora estão permitidos.

As medidas de relaxamento ocorrem apesar da disseminação da variante indiana no país, embora o primeiro-ministro britânico Boris Johnson tenha alertado na sexta-feira (14/05) que a variante poderia tornar “mais difícil” alcançar a etapa final de flexibilização da Inglaterra.

O país também está revisando sua orientação de distanciamento social para enfatizar “a responsabilidade pessoal em vez de regras”, ainda que a orientação oficial seja de cautela. Em entrevista à revista Forbes, Boris afirmou: “Quem quer que seja que eu abrace, posso garantir, será com cuidado e restrição.”

Dentre as medidas de flexibilização anunciadas para o Reino Unido, estão:

Grupos de até seis pessoas ou duas famílias podem se reunir dentro de casa e visitas noturnas são permitidas. As pessoas podem se reunir em grupos de até 30 pessoas ao ar livre, e também comparecer a casamentos, recepções, velórios e outros eventos.

Museus, galerias e cinemas podem reabrir, assim como pistas de boliche e fliperamas, além de teatros, salas de concerto e estádios esportivos. Esportes adultos organizados, incluindo aulas de ginástica, podem começar de novo, bem como spas e saunas podem ser reabertos.

Os residentes de lares de idosos podem ter até cinco visitantes nomeados (dois de cada vez), desde que o teste dos visitantes seja negativo para o coronavírus.

Pubs, bares, cafés e restaurantes podem atender os clientes nas áreas internas. Todos os hotéis e pensões estão liberados.

Últimas notícias