Covid-19: OMS alerta sobre 2ª onda de infecção “em poucos meses”

Chefe da emergência da OMS, Mike Ryan faz ressalva sobre o risco do afrouxamento de medidas em países que passam pelo declínio da doença

atualizado 26/05/2020 11:31

Coronavírus mundo ilustraçãoMetrópoles

A queda do número de casos de Covid-19 é animadora para os países que enfrentaram o novo coronavírus com eficiência no início da pandemia, mas tem armadilhas. A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que ainda há a possibilidade de um segundo pico imediato do vírus.

Em entrevista coletiva online nessa segunda-feira (25/05), o chefe da emergência da OMS, Mike Ryan, lembrou que as epidemias costumam acontecer em ondas. Por essa razão, a doença pode reaparecer com força alguns meses após a primeira, se os países afrouxarem as medidas tomadas para evitar a disseminação do vírus.

“E essa pode ser a realidade de muitos países em poucos meses. Mas também devemos estar cientes do fato de que a doença pode aumentar a qualquer momento”, ressalta Ryan.

0
Vírus se espalha pelo mundo

Para a curva continuar em declínio, Ryan sugere que os países continuem com a implementação de medidas de saúde pública e social. São necessários cuidados de vigilância, uma estratégia abrangente, além da constante realização de testes.

Embora muitos países que enfrentaram a pandemia primeiro já registrarem diminuição do números de casos diários de Covid-19, Ryan reforça que os registros de novos pacientes continuam aumentando na América do Sul e Central, Sul da Ásia e África.

Últimas notícias