Covid-19: distúrbios cerebrais são observados em pessoas com sintomas leves

Médicos da University College London registraram o aumento dos casos de encefalomielite disseminada aguda (Adem), inflamação cerebral rara

atualizado 08/07/2020 11:48

ilustração de cérebroKATERYNA KON/SCIENCE PHOTO LIBRARY, Getty Images

Neurologistas do Reino Unido observaram que a Covid-19 pode provocar problemas cerebrais graves em pacientes recuperados ou nos que apresentam sintomas leves da doença. As complicações incluem inflamação cerebral, confusão mental, danos nos nervos e derrames, de acordo com o estudo preliminar publicado nesta quarta-feira (8/7), na revista acadêmica Brain.

Ao analisar o estado de saúde de 43 pacientes do Reino Unido, com idade entre 16 e 85 anos, os médicos do Instituto de Neurologia da University College London observaram o aumento preocupante dos casos de encefalomielite disseminada aguda – acute disseminated encephalomyelitis –  (Adem), uma inflamação cerebral rara. Antes da pandemia era registrado um caso por mês no instituto. Em abril e maio, as ocorrências passaram para duas a três por semana.

De acordo com o autor do estudo e consultor do instituto e da Fundação NHS do University College London Hospitals, Michael Zandi, a Adem se assemelha à esclerose múltipla, mas é mais grave e costuma acontecer como uma ocorrência única. O processo de recuperação varia entre os pacientes.

Foram relatados 12 casos de inflamação do sistema nervoso central, sendo nove desses diagnosticados com Adem. Dez pacientes apresentaram doença cerebral com confusão mental ou psicose; oito sofreram derrame cerebral; e outros oito apresentaram problemas nos nervos periféricos, a maioria deles foi diagnosticada como síndrome de Guillain-Barré, uma doença em que o sistema imunológico ataca os nervos e causa paralisia.

Todos os casos ocorreram entre seis dias antes e até 27 dias após o início dos sintomas de Covid-19. Os cientistas temem que a doença provocada pelo novo coronavírus possa provocar efeitos a longo prazo e fazem um alerta para que médicos estejam cientes do risco de efeitos neurológicos para ajudar no diagnóstico precoce e melhorar os resultados dos pacientes.

Últimas notícias