Covid-19: médicos se assustam com AVCs em pacientes mais jovens

Norte-americanos verificaram aumento da quantidade de derrames em pacientes jovens e de meia idade com resultado positivo para coronavírus

atualizado 27/04/2020 18:10

O aumento no número AVCs (acidentes vasculares cerebrais) em pacientes jovens e de meia idade que testam positivo para a Covid-19 tem chamado a atenção de neurologistas dos Estados Unidos. Os quadros mais severos de derrame costumam acometer pessoas com 74 anos, em média, mas agora passaram a ser relatados também entre os mais jovens, com idades entre 30 e 40 anos, com diagnóstico positivo para o coronavírus.

“Estamos acostumados a pensar em uma pessoa de 60 anos como jovem em se tratando dos AVCs hemorrágicos mais graves. Nunca vimos tantos pacientes na faixa dos 50, 40 e fim dos 30 anos”, disse Eytan Raz, professor assistente de Neurorradiologia da NYU Langone.

Um levantamento feito pela Thomas Jefferson University Hospitals em centros médicos dos Estados Unidos identificou pacientes da Covid-19 com grandes coágulos bloqueando o sangue no cérebro, alguns deles com menos de 50 anos e sem comorbidades.

Alguns casos chamaram a atenção do neurocirurgião Pascal Jabbour, da instituição. Enquanto os coágulos no cérebro costumam aparecer nas artérias que bombeiam o sangue a partir do coração, nos pacientes com o coronavírus, eles também apareceram nas veias que bombeiam o sangue na direção oposta. Em alguns pacientes foram verificados até mais de um coágulo na cabeça.

O número de pacientes que deu entrada na rede médica Mount Sinai, em Nova York, com AVC dobrou durante a pandemia da Covid-19. Mais da metade deles ocorreu em pessoas com testes positivos para o vírus, segundo o médico J Mocco.

Mocco  ficou “completamente chocado” com o fato de que pacientes de derrame com Covid-19 eram, em média, 15 anos mais jovens do que os que não haviam contraído o vírus. (Com informações do Estadão)

Últimas notícias