Caso raro da ameba “comedora de cérebro” provoca alerta nos EUA

Conforme o Departamento de Saúde do condado de Hillsborough (DOH), as pessoas devem evitar água doce quente de lagos, rios e lagoas

atualizado 06/07/2020 14:05

Ameba Naegleria fowleriSmith Collection/Gado/Getty Images

O Departamento de Saúde da Florida registrou na última sexta-feira (3/7) um caso de ameba rara que destrói o cérebro de uma pessoa. O achado ocorreu no condado de Hillsborough.

A Naegleria fowleri é uma ameba microscópica unicelular que pode infectar e destruir o cérebro. Mesmo sendo rara, ela é encontrada normalmente em água doce quente como lagos, rios e lagoas.

A ameba “comedora de cérebro” pode levar à doença chamada de meningoencefalite amebiana primária (PAM). É essa infecção que pode resultar na destruição do tecido cerebral e tende a ser fatal.

Conforme informou o Departamento de Saúde do condado de Hillsborough (DOH), as pessoas devem evitar o contato nasal com as águas citadas, porque a ameba costuma entrar pelo nariz.

Caso raro e mortal

No comunicado, o DOH informou que esse foi apenas o 37º caso dessa ameba na história. O primeiro ocorreu em 1962. As pessoas que entram em contato com a infecção costumam apresentar sintomas como febre, náusea, vômito, rigidez na nuca e dores de cabeça.

Para se ter uma ideia da gravidade, o órgão de saúde informou que cerca de 97% dos infectados morrem. Muitas vezes em até uma semana.

Últimas notícias