Coronavírus: Rússia vai criar “rato humanizado” para testes de laboratório

Vacinas e remédios serão experimentados em animais geneticamente modificados que apresentarão sintomas semelhantes aos dos humanos

atualizado 04/05/2020 19:47

Cientista olhando para ratos de laboratórioAdam Gault/Getty Images

Uma das principais problemas enfrentados pelos cientistas na batalha contra o coronavírus é a dificuldade de testar medicamentos ou vacinas em laboratório. Os camundongos, animais comumente usados neste tipo de pesquisa, não apresentam os mesmos sintomas que os humanos quando se defrontam com o Sars-CoV-2. A maioria não tem as proteínas ACE2 e TMPRSS2, usadas pelo vírus para invadir as células humanas e se multiplicar.

Porém, pesquisadores da Academia Russa de Ciências anunciaram, nesta segunda-feira (04/05), que estão criando ratos geneticamente modificados que, ao serem infectados com o coronavírus, apresentarão os mesmos sintomas que humanos.

Os cientistas vão garantir duas coisas importantes: animais seguros para a manipulação em laboratório e que seguirão um roteiro de ataque ao corpo semelhante ao da doença.

“A principal diferença entre o novo modelo e os existentes é que ele será biologicamente seguro e os ratos só se tornarão sensíveis ao Sars-CoV-2 após uma ativação feita nas condições de um laboratório virológico. Com isso, fica praticamente impossível o contágio de trabalhadores que estejam em locais não-específicos durante a pandemia”, explicou o time de pesquisa ao site EurekAlert.

Entenda como o coronavírus ataca o corpo humano:

0

Últimas notícias