Beber ajuda a dormir melhor? Veja cinco mitos e verdades sobre o sono

Diversas condições de saúde e hábitos podem ser responsáveis por desencadear a apneia do sono, condição que evita que o paciente descanse

atualizado 09/02/2022 19:43

mulher dorme sono profundo Luis Alvarez/Getty Images

Segundo o Instituto do Sono, 66,8% dos brasileiros tiveram dificuldade para dormir durante a pandemia de Covid-19 e 59,4% dos entrevistados dizem acordar várias vezes durante a noite. Outro levantamento, da Sociedade Mundial do Sono, concluiu que cerca de 45% da população mundial tem dificuldades para dormir.

Boa parte dos problemas para descansar durante a noite está relacionada à apneia do sono: a condição é comum e é caracterizada pelo bloqueio da respiração pelo relaxamento dos tecidos da faringe e da base da língua.

O cenário limita a quantidade de ar que chega aos pulmões, fazendo o paciente roncar alto – ele pode até parar de respirar algumas vezes enquanto dorme. O indivíduo acaba acordando e não consegue atingir o sono profundo.

A doença tem tratamento, e o mais comum é o uso do CPAP, um aparelho que promove uma pressão positiva contínua nas vias aéreas para garantir o fluxo de ar no paciente.

Confira um mito e sete verdades sobre o sono:

Beber álcool ajuda a dormir? Mito.

A otorrinolaringologista Cintia Rosa, que atua na área de medicina do sono, conta que, apesar de a bebida facilitar o sono a princípio, ela dificulta que o indivíduo alcance o sono profundo, acordando várias vezes durante a noite e resultando em um descanso ineficaz.

“O álcool, por sua ação relaxante muscular e depressora do sistema nervoso central, aumenta os riscos de distúrbios respiratórios durante o sono – como ronco e apneia obstrutiva, além de tornar esses episódios de pausas respiratórias ainda mais prolongados”, comenta a especialista.

Obesidade é fator de risco para apneia do sono. Verdade.

Estudos mostram que a quantidade de eventos de apneia por hora de sono (conhecido como IAH) é maior conforme aumenta o sobrepeso – ou seja, quanto mais pesado está o paciente, mais severo o distúrbio de apneia.

Diabetes e outras doenças têm relação com a apneia do sono. Verdade.

Vários levantamentos apontam que, ainda que não se entenda exatamente quais são os mecanismos que ligam as doenças crônicas mais comuns aos distúrbios do sono, as duas coisas estão ligadas.

Pacientes com diabetes tipo 2, por exemplo, costumam sofrer com apneia do sono. A gravidade da condição também parece estar relacionada ao risco de hipertensão.

Muita gente tem apneia e não sabe. Verdade

Segundo uma pesquisa de 2009 feita pela Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, a apneia é uma condição subdiagnosticada e estima-se que até 80% das pessoas com quadros moderados e graves não sabem que têm a doença.

A apneia tem relação com o humor. Verdade

Pessoas com a condição correm maior risco de ter depressão e ansiedade, assim como problemas na atenção, vigilância e até na memoria. Sem conseguir descansar durante a noite, muitos pacientes relatam dificuldade de concentração, esquecimento, dificuldade de tomar decisões e muito sono ao dirigir.

Mais lidas
Últimas notícias