Bactéria vazada de laboratório contamina mais de 3 mil pessoas

Funcionários limparam sala com desinfetante vencido. Bactéria ficou suspensa no ar e depois expelida pelo sistema de exaustão do prédio

atualizado 18/09/2020 12:21

Equipamentos de laboratórioBill Oxford/Reprodução/Unsplash

Autoridades chinesas anunciaram que, em 2019, ocorreu um acidente em um laboratório e uma bactéria “escapou” após a desinfecção do local ter sido feita com um desinfetante vencido. O caso ocorreu na cidade de Lanzhou, capital da província de Gansu. No total, 3.245 pessoas contraíram brucelose.

No local são produzidas vacinas para animais. Segundo as autoridades, por conta da desinfecção incompleta e a esterilização da sala, o patógeno ficou no ar da empresa e depois foi expelido pelo sistema de exaustão do prédio.

Em dezembro daquele ano, 200 pessoas do Instituto de Pesquisa Veterinária foram infectadas pela doença, que, depois, se espalhou pela cidade.

Depois que foi confirmado que as infecções foram causadas pelo acidente ocorrido no laboratório, a empresa pediu desculpas, mas teve a licença para a produção de vacinas contra a brucelose revogada.

A partir de outubro deste ano, os pacientes contaminados por brucelose devem receber uma indenização.

Doença incomum em humanos

A brucelose é transmitida pelo gado, ou por produtos de origem animal. Ela não é comum entre humanos, mas caso a pessoa seja contaminada pode ter febre, dores nas articulações e na cabeça. O governo de Lanzhou explicou que não houve qualquer transmissão de humano para humano.

Nas vacas, a doença pode causar má formação ou aborto espontâneo. Também leva à inflamação dos testículos do boi, diminuindo a contagem de espermatozóides e o deixando infértil. Ovelhas e porcos também podem ser infectados pela bactéria.

Últimas notícias