Senado aprova ultraconservadora escolhida por Trump para a Suprema Corte

Por 52 votos a 48, o presidente norte-americano conseguiu colocar seu terceiro nome na Corte, mesmo diante da oposição de democratas

atualizado 26/10/2020 21:35

Isac Nóbrega/PR

O Senado dos Estados Unidos confirmou nesta segunda-feira (26/10), por 52 votos a 48, a nomeação para a Suprema Corte de uma juíza ultraconservadora indicada pelo presidente norte-americano, Donald Trump. A aprovação de Amy Coney Barrett consolida a maioria conservadora na mais alta instância judicial do país.

A maioria dos republicanos no Senado aprovou sem surpresas a indicação de Barrett, uma católica fervorosa de 48 anos, contrária ao aborto e que sucederá Ruth Bader Ginsburg, uma figura ícone do progressismo, que morreu em setembro.

Atrás de seu adversário, o democrata Joe Biden, nas pesquisas, o presidente conta com a confirmação de Barrett para atiçar sua base e captar o voto religioso. Com essa nomeação, Trump somaria três magistrados conservadores na Suprema Corte nomeados por ele.

Para o presidente, essa é uma oportunidade de mudar o discurso em meio a uma crise de saúde e econômica causada pela pandemia de Covid-19, que continua se agravando, com mais de 225 mil mortos.

Últimas notícias