Último debate entre Trump e Biden é duro, mas menos agressivo

Os candidatos à Presidência dos EUA discordaram sobre pandemia e combate ao racismo e trocaram acusações de desonestidade

atualizado 23/10/2020 0:08

Primeiro debate entre Trump e BidenOLIVIER DOULIERY/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O último debate antes das eleições entre os candidatos à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, do partido Republicano, e Joe Biden, do partido Democrata, na noite desta quinta-feira (22/10), foi na contramão do primeiro embate que tiveram – marcado por interrupções sem fim e agressões repetidas. Em tom mais contido, os dois discordaram sobre pandemia, combate ao racismo, imigração e mudanças climáticas, e trocaram acusações sobre negócios ilícitos

O atual presidente foi responsável pela maior parte dos conflitos e acusações. Ele voltou a mencionar o filho de Biden, Hunter, afirmando que ele integrou um esquema de corrupção na Ucrânia, na época em que o democrata era vice-presidente dos EUA.

Biden adotou uma postura mais comedida durante a conversa, tentando evitar algum passo em falso. Ao responder os ataques de Trump, ele afirmou que o republicano recebeu dinheiro ilícito e tem uma “conta secreta na China”.

Em contrapartida ao debate anterior, quando Trump interrompeu o oponente por 128 vezes, nesse embate, ele falou quando não devia por 24 vezes. As interrupções de Biden também diminuíram. Ele atrapalhou o presidente norte-americano por 25 vezes, contra 89 na discussão passada.

Essa mudança de clima teve a ver com as novas normas estipuladas para o debate. Após o primeiro ser marcado por interrupções, a comissão que organiza os eventos decidiu cortar o microfone dos candidatos quando o outro estivesse respondendo a uma pergunta.

Coronavírus

Ao falar sobre a pandemia de coronavírus, o primeiro tema da noite, Trump disse que a taxa de mortalidade dos Estados Unidos é menor do que a de muitos países, “uma das menores do mundo”, em relação ao número de casos – ainda que o país seja o que registra mais mortes por Covid-19 no mundo.

Citando ainda sua própria experiência com a doença, o presidente disse que melhorou rapidamente porque o país oferece um bom tratamento e que uma vacina “está chegando” em semanas, apesar de não conseguir precisar uma data.

“Vai passar e, como eu disse, estamos dobrando a curva, estamos dobrando a esquina. Está indo embora”, disse Trump, ao falar da pandemia nos EUA.

Biden citou as mais de 222 mil mortes no país e afirmou que qualquer um responsável por isso não deve continuar na presidência. Ele disse ainda que a expectativa é de que haverá mais 200 mil americanos mortos e o presidente ainda não tem um plano. “Este é o mesmo sujeito que disse que tudo terminaria na Páscoa”, disse. ao descartar a vacinação em poucas semanas. “Ele não tem um plano claro.”

Racismo

Ao discutir racismo, Trump afirmou que “desde Abraham Lincoln nenhum presidente fez mais pelos negros” que ele e, mais tarde, chegou a dizer que era a pessoa menos racista em todo o ambiente – a mediadora do debate, Kristen Walker, é negra. Além disso, acusou Biden de agir contra os afroamericanos ao votar a favor da Lei de Crimes em 1994.

Biden, no entanto, lembrou diversas situações em que o presidente fez menções racistas, desde o lançamento de sua primeira candidatura, quando acusou o México de enviar traficantes e estupradores aos EUA até as vezes em que ofendeu militantes do movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam).

“Ele joga combustível em cada incêndio racista”, acusou Biden, chamando Trump de “um dos presidentes mais racistas que já tivemos na história moderna”.

Primeiro debate

O primeiro debate entre Trump e Biden, no dia 29 de setembro, foi marcado por discussões acaloradas. Falando muito, o atual presidente quase não deu espaço para o adversário, interrompendo inclusive o moderador e tornando difícil a distribuição do tempo.

Trump chegou a insinuar que o democrata “não é muito inteligente”. Biden, por sua vez, exaltou-se em certo momento e chamou o oponente de “palhaço” e o mandou “calar a boca”.

Últimas notícias