Trump e Biden trocam acusações sobre negócios com China e Ucrânia

O presidente afirmou que o filho do oponente participou de corrupção na Ucrânia. O democrata o acusou de ter uma conta secreta na China

atualizado 22/10/2020 22:56

Donald Trump e Joe BidenPATRICK SEMANSKY/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

No último debate antes da eleição presidencial nos Estados Unidos, o atual presidente, Donald Trump (Republicano), acusou Hunter Biden, filho do oponente Joe Biden (Democrata), de fazer parte de um esquema de corrupção na Ucrânia. O ex-vice-presidente de Barack Obama contra-atacou afirmando que Trump tinha uma conta “secreta” na China e podia ter conflitos de interesses por seus negócios.

“Seu filho, seu irmão e seu outro irmão são como um aspirador de pó”, afirmou Trump. Em resposta, Biden disse que não recebeu dinheiro de outros países, afirmando que o presidente teria feito isso. “Eu não recebi nenhum dinheiro de uma fonte estrangeira. Ele tem uma conta secreta na China e está falando sobre eu ter recebido dinheiro? Ele tem uma conta secreta na China”, disse o democrata.

Esse é o segundo e último encontro dos políticos antes da disputa nas urnas. Após o primeiro debate ser marcado por interrupções, a comissão que organiza os eventos decidiu cortar o microfone dos candidatos quando o outro estiver respondendo a uma pergunta.

Haveria um segundo debate na semana passada, mas o encontro acabou cancelado depois que o presidente Donald Trump, candidato à reeleição, testou positivo para o novo coronavírus.

Confusão

O primeiro debate entre Trump e Biden, no dia 29 de setembro, foi marcado por discussões acaloradas. Falando muito, o atual presidente quase não deu espaço para o adversário, interrompendo inclusive o moderador e tornando difícil a distribuição do tempo.

Trump chegou a insinuar que o democrata “não é muito inteligente”. Biden, por sua vez, exaltou-se em certo momento e chamou o oponente de “palhaço” e o mandou “calar a boca”.

Últimas notícias