Trump: “Não é minha culpa que o vírus chegou. É da China”

O primeiro encontro dos políticos foi marcado por interrupções e discussões acaloradas. O pleito será no dia 3 de novembro

atualizado 22/10/2020 22:25

Primeiro debate entre Trump e BidenOLIVIER DOULIERY/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Os candidatos à Presidência dos Estados Unidos Donald Trump, do partido Republicano, e Joe Biden, do partido Democrata, se encontram nesta quinta-feira (22/10) em Nashville, no Tennessee, para o último debate antes das eleições presidenciais no país. O debate começa às 22h, no horário de Brasília. O pleito está marcado para o dia 3 de novembro.

Trump, atual presidente, em busca de reeleição, disse que não é culpa dele se o coronavírus surgiu no mundo e chegou aos EUA: “É da China”. Ele afirmou que os norte-americanos estão “aprendendo a lidar com a doença” e foi criticado por Biden. “As pessoas estão aprendendo a morrer com isso”, atacou o opontente.

Ao responder, Trump afirmou que não podia se esconder “em um porão ou em um lindo quarto na Casa Branca” e fingir que nada estava acontecendo “por um ano e meio”.

“Eu não disse que vai acabar logo. Disse que estamos aprendendo. A gente não pode ficar no porão como o Joe. Ele tem habilidade de se trancar. As pessoas não podem fazer isso. Eu não podia fazer isso”, falou Trump.

É o segundo e último encontro dos políticos antes da disputa nas urnas. Após o primeiro debate ser marcado por interrupções, a comissão que organiza os eventos decidiu cortar o microfone dos candidatos quando o outro estiver respondendo a uma pergunta.

Somente na discussão aberta os dois poderão falar livremente. Porém quem interromper dará direito ao adversário falar por um período extra, equivalente ao tempo em que foi interrompido.

Haveria um segundo debate na semana passada, mas o encontro acabou cancelado depois que o presidente Donald Trump, candidato à reeleição, testou positivo para o novo coronavírus.

Confusão

O primeiro debate entre Trump e Biden, no dia 29 de setembro, foi marcado por discussões acaloradas. Falando muito, o atual presidente quase não deu espaço para o adversário, interrompendo inclusive o moderador e tornando difícil a distribuição do tempo.

Trump chegou a insinuar que o democrata “não é muito inteligente”. Biden, por sua vez, exaltou-se em certo momento e chamou o oponente de “palhaço” e o mandou “calar a boca”.

Últimas notícias