Premiê canadense acusa Irã de ter atingido avião civil com míssil

Justin Trudeau afirma ter informações de "múltiplas fontes" confirmando a tese. "Pode ter sido não intencional", ressalva

Reprodução/TwitterReprodução/Twitter

atualizado 09/01/2020 17:55

A queda de um Boeing 737-800 de uma empresa aérea ucraniana na última terça-feira (07/01/2020), no Irã, foi causada por um míssil das Forças Armadas iranianas, afirmou o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (09/01/2020). O acidente deixou 176 mortos, sendo 63 canadenses.

“Temos informações de inteligência de múltiplas fontes, incluindo nossos aliados e serviços próprios [canadenses] de investigação. A evidência indica que o avião foi atingido por um míssil iraniano terra-ar”, disse Trudeau à imprensa de seu país. “Pode ter sido não intencional”, ressalvou o primeiro-ministro.

Mais cedo, ainda nesta quinta, o presidente norte-americano, Donald Trump, havia dito que suspeitava de que o avião não havia caído por razões mecânicas. “Alguém poderia ter cometido um erro do outro lado”, afirmou Trump, em evento na Casa Branca, em Washington DC.

A avaliação inicial das autoridades dos EUA é a de que o avião deve ter sido abatido por um erro do sistema antimísseis do Irã.

Caixas-pretas
Organização da Aviação Civil do Irã disse que não vai entregar à companhia e aos Estados Unidos as caixas-pretas da aeronave. A organização garantiu que fará toda a investigação sobre o acidente.

O Irã ainda não se manifestou sobre as acusações de que teria sido diretamente responsável pela queda do avião civil.

Circula nas redes sociais um vídeo alegadamente do momento em que o míssil atinge a aeronave. Veja:

Últimas notícias