EUA acredita que sistema antimísseis do Irã derrubou avião

Informações são de autoridades norte-americanas. Presidente dos EUA, Donald Trump, disse que pode ter ocorrido "um erro do outro lado"

atualizado 09/01/2020 17:59

EBRAHIM NOROOZI/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A queda da aeronave ucraniana na última terça-feira (07/01/2020), no acidente que deixou 176 mortos, pode ter sido causada por um erro no sistema antimísseis do Irã, segundo autoridades norte-americanas.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse suspeitar que o acidente não ocorreu por problemas mecânicos.

“Alguém poderia ter cometido um erro do outro lado”, afirmou o norte-americano, nesta quinta-feira (09/01/2020), em evento na Casa Branca, em Washington DC.

A avaliação inicial do Pentágono, portanto, é de que o episódio foi acidental.

Autoridades norte-americanas ouvidas pelo site de notícias Newsweek acreditam que o avião tenha sido atingido por um sistema de mísseis construído na Rússia, conhecido pela como Gauntlet.

Relatório preliminar do acidente apontou que a aeronave Boeing 737 foi consumida pelo fogo antes de atingir o chão.

Caixas-pretas
Em comunicado divulgado nessa quarta-feira (08/01/2020), a Embaixada da Ucrânia no Irã omitiu a falha do motor como causa do acidente.

A Organização da Aviação Civil do Irã disse que não vai entregar à companhia e aos Estados Unidos as caixas-pretas da aeronave. A organização garantiu que fará toda a investigação sobre o acidente.

Ainda na Casa Branca, Trump não garantiu que tenha sido um acidente. “Eu realmente não sei. Em algum momento, vão liberar a caixa-preta”, completou. (Com informações da CNN)

Últimas notícias