Ucrânia retira problema mecânico como causa de queda de avião

Boeing-737 transportava 176 pessoas de sete nacionalidades e ninguém sobreviveu ao acidente

EBRAHIM NOROOZI/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOEBRAHIM NOROOZI/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 08/01/2020 15:13

Em novo comunicado divulgado nesta quarta-feira (08/01/2020), a Embaixada da Ucrânia no Irã omitiu a falha do motor como causa da queda do avião no país do Oriente Médio. As informações são da Agência Reuters.

A embaixada informou que as causas não haviam sido divulgadas e que quaisquer comentários anteriores não eram oficiais.

O primeiro-ministro da Ucrânia, Oleksiy Honcharuk, ponderou quando perguntado sobre especulações de um possível ataque planejado.

Em entrevista realizada em Kiev, o primeiro-ministro pediu para esperar até que os resultados da investigação sejam conhecidos.

A queda da aeronave, na noite dessa terça-feira (07/01/2020), deixou 176 mortos de sete nacionalidades diferentes.

A Ucrânia proibiu voos sobre o espaço aéreo iraniano por aviões do país a partir de 9 de janeiro.

A Organização da Aviação Civil do Irã anunciou que não entregará à companhia e aos Estados Unidos as caixas-pretas da aeronave. A organização garantiu que fará toda a investigação sobre o acidente.

Últimas notícias