Bolsonaro sobre demissão de Valeixo: “Nomeação é do presidente”

Mais cedo, Bolsonaro afirmou que a imprensa "errou tudo". Diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, foi exonerado nesta sexta-feira

atualizado 24/04/2020 11:44

Jair BolsonaroRafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) destacou, nesta sexta-feira (24/04), que a exoneração do diretor-geral da Polícia Federal (PF), Maurício Valeixo, foi feita a pedido dele. Além disso, em letras garrafais, o presidente destacou que essas nomeações são atribuições do presidente da República.

O presidente publicou, em uma rede social, trecho do Diário Oficial da União (DOU), onde foi publicada a exoneração.

A frase “Exonerar, a pedido”, está grifada de amarelo. No texto, Bolsonaro diz que o cargo de diretor-geral da PF é nomeado pelo presidente.

“Lei 13.047/2014. Art. 2º-C. O cargo de Diretor-Geral, NOMEADO PELO PRESIDENTE DA REPÚBLICA, é privativo de delegado de Polícia Federal integrante da classe especial”, escreveu o presidente.

Veja, a seguir, o tuíte original:

A mesma imagem está sendo usada por bolsonaristas em uma tentativa de desassociar o nome do atual presidente quanto a saída de Valeixo da direção da PF.

Mais cedo, na saída do Palácio da Alvorada, o presidente Bolsonaro se recusou a responder sobre a saída de Valeixo e disse que a imprensa errou tudo.

Valeixo é braço direito do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, que pode deixar o governo após essa exoneração.

O ministro fará um pronunciamento à imprensa às 11h desta sexta-feira. O assunto que será tratado por Moro, contudo, não foi revelado pela pasta.

Últimas notícias