Projetos visam ajudar setor de cafés durante crise mundial

Vouchers solidários, vaquinhas e debates gratuitos com especialistas de diversas áreas são iniciativas que tentam salvar a cadeia

atualizado 10/04/2020 13:13

Júlia Bandeira/Especial para o Metrópoles

Com o setor de bares e restaurantes à beira do colapso dada a crise do novo coronavírus, pequenos empreendedores têm contado com a clientela não só para continuar consumindo seus cardápios via delivery, mas também para ajudá-los com a compra de vouchers solidários e até mesmo com financiamentos coletivos para a manutenção de empregos – e do próprio restaurante. Conhecidas por não serem o negócio mais lucrativo da área, as cafeterias sofrem bastante com a crise.

Só no último dia 25 de março, o Sindicato Patronal de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar) homologou cerca de 4 mil rescisões de contratos de trabalho. A estimativa da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), é que 3 milhões de empregos em todo Brasil estejam em risco durante a crise.

Na tentativa de remediar o impacto, o Antonieta Café criou um financiamento coletivo com oito prêmios diferentes, a depender da contribuição em dinheiro que o cliente decidir fazer. Os kits vão desde a combinação básica entre pão de queijo e café coado, a ser recolhido na casa assim que o comércio voltar a funcionar, até um curso de métodos coados que inclui, como prêmio, um pacote de 250g de café, um método e um pacote de filtros.

Antonieta Café, café coado
O Antonieta Café propõe a compra de kits de consumo para retirada após a quarentena
Café da quarentena

O isolamento social começou dias depois do lançamento da torrefação do Jacket Café, da Asa Sul. Com estoque cheio e uma queda brusca no faturamento, a casa lançou uma campanha para compra dos pacotes de café da casa. Com quatro opções de voucher que vão de R$ 55 a R$ 330, a ideia é que o cliente adquira os pacotes e busque quando puder.

O cliente poderá retirar em loja pacotes de 250g ou de um quilo, mas os vouchers dão direito a acumular de um a cinco quilos de café. Com três grãos diferentes e um blend da casa, é estoque para coffee lover nenhum botar defeito.

Iniciativa nacional

Lançado no último dia 26, o movimento Viva Café busca ajudar cafeterias em todo país a sobreviver à crise. Financiado por uma executiva brasileira que prefere não ser identificada, o projeto conta com o apoio da barista, mestra de torra e empresária Isabela Raposeiras, dona do badalado Coffee Lab, em São Paulo.

A iniciativa tem como missão informar, instruir e educar com conteúdo de qualidade. No Instagram, Isabela vai aparecer em lives para conversar com especialistas de diversas áreas sobre negócios, cenário atual, ações com clientes e com os colaboradores, saúde mental e financeira. Serão abordados os temas mais urgentes com o objetivo de levar, por meio de conteúdo digital, o debate de pontos cruciais nesse momento de crise para a comunidade cafeeira no Brasil.

Aos domingos, às 17h, Isabela conversa com os convidados do projeto sobre os assuntos multidisciplinares que os donos de cafeterias terão que dar conta durante este momento.

View this post on Instagram

E a nossa próxima live#2 terá o tema que vocês pediram na pesquisa! Não percam, domingo, às 17h, convidamos o consultor financeiro Luiz Castro e a empresária Isabela Raposeiras para a live com dicas essenciais sobre finanças para o pequeno e médio varejo de café atravessar a crise! Convidado: Luiz Castro começou no ramo de indústria e comércio de calçados femininos e vendeu a rede com 30 lojas para abrir a sua consultoria. Fundou a CEA Consultoria, voltada para a gestão de pequenas e médias empresas. Mediadora: Isabela Raposeira é barista e psicóloga, dedica-se ao estudo e pesquisa dos fatores que estão relacionados à qualidade do café há 19 anos, tornando-se uma das referências mundiais em seleção e torra de cafés especiais. Pioneira no desenvolvimento de serviços de café, eventos e consultorias na área de qualidade para o varejo, torrefações e produtores, inaugurou sua escola em 2004, onde ensina mais de 2.000 alunos por ano. Em 2009, abriu o premiado Coffee Lab – cafeteria e torrefação focada em microlotes de alta qualidade e sustentabilidade. #juntossomosmaisfortes #bebacafe #vivacafe #somostodoscafe

A post shared by #VIVACAFE (@vivacafe.br) on

O movimento #ApoieUmRestaurante, promovido pela Stella Artois, ganhou recentemente o reforço da Nestlé e da Nespresso: agora, os vouchers com desconto podem ser adquiridos para cafeterias e confeitarias em todo Brasil. No caso de restaurantes, o consumidor paga R$ 50 num voucher de R$ 100; para as confeitarias, paga-se R$ 35 em vouchers de R$ 70; e no caso das cafeterias, o cliente paga R$ 10 e consome R$ 20.

Últimas notícias