Nippon guarda bons pratos japoneses, inclusive no rodízio

Casa foi reformada há alguns meses e conta com dois salões para atender a mais clientes

atualizado 22/04/2022 19:45

foto de prato com diversas peças de sushisFoto: Luciana Barbo

Há algum tempo, não ia ao Nippon. O restaurante japonês é bem tradicional na cidade e ainda figura na minha lista dos que valem a pena investir. Em 2018, a casa abriu mão da frutaria que ficava abaixo da unidade da 207 Sul e inaugurou um novo salão para atender a mais clientes, ávidos, principalmente, pelo rodízio da casa, oferecido tanto no almoço quanto no jantar.

Por ainda não conhecer esse espaço, escolhi este endereço para uma visita nesta semana. Embora tenha passado o olho no menu à la carte, que aliás está bem interessante, decidi pela modalidade mais pedida, para conseguir provar mais itens e não ter de levar comida para casa. Sim, porque, como vocês sabem, eu sou contra o desperdício e não tenho a menor vergonha de pedir para o garçom fazer aquela “marmita” com o que sobrou (risos).

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

Comecei o rodízio pelo guioza, que tem uma camada crocante por fora e se mostra também macio com a mastigação. O recheio de carne suína é bem temperadinho e ganha um boost com o molho levemente picante que vem por baixo, composto por shoyu e gengibre.

Depois, passei ao shimeji branco, bem robusto, passado em bastante manteiga e guarnecido com nirá. Adoro! O sal é bem equilibrado, na medida. Outra entradinha que me chamou a atenção foi o tataki de atum. Me deu a impressão de que não tinha sido feito com aquelas aparas cheias de fibra, como já comi em outras casas. O peixe, aliás, estava bastante fresco, o que conta muito na minha avaliação.

Também gostei bastante da salada de macarrão com salmão, temperada com shoyu e óleo de gergelim, assim como da acelga refogada com bacon, de uma suculência bem interessante, fora o gostinho defumado dos pedacinhos de suíno.

Sushis e sashimis

Passando aos sushis, devo falar sobre o arroz, que estava dentro dos padrões aceitáveis. Talvez possa ser um tantinho menos “ligado”, para dar mais leveza à degustação. Vocês já devem ter lido aqui na coluna que eu valorizo muito a qualidade do preparo desse cereal. Se ele estiver muito ligado ou temperado, a experiência fica comprometida.

Além do atum, que já elogiei o frescor, o salmão também me pareceu bem fresco. Senti apenas que estava um tanto molhado. O menu do rodízio traz ainda “peixe branco” e, no dia, era anchova negra. Então, passei. Pedi camarões e kani para complementar a refeição e diversificar os sabores. Assim como outras casas da cidade, o Nippon também oferece pouca variedade de pescados, mas entendo, porque a nossa distância dos mares realmente dificulta o processo de compra, transporte e armazenamento adequado.

Para beber, há uma boa oferta de drinques, inclusive com a bebida emblemática do Japão. A Saquepirinha Nippon leva morango, lichia e kiwi, e sai a R$ 29,90. As doses da bebida pura custam entre R$ 21,90 e R$ 90.

Então, se der vontade de comer um sushi, passa por lá. De segunda a quinta, o rodízio sai a R$ 109 no almoço e R$ 125 no jantar. Nos outros dias e horários, é R$ 125, nos dois horários. Os valores são por pessoa e crianças de 5 a 10 anos pagam metade do preço.

Serviço

Nippon Gourmet
Endereço: SCLS 207, Bloco C Loja 17
Telefone: (61) 3244-2477
Funciona de segunda a quinta-feira, das 12h às 15h e das 19h às 23h; sexta a sábado, das 12h às 15h e das 19h às 0h; domingo, de 12h às 16h30
Instagram: @nipponbrasilia

Para mais dicas de gastronomia, siga @lucianabarbo no Instagram.

Mais lidas
Últimas notícias