Conheça as novidades gastronômicas que vão agitar Brasília em breve

Segmento de alimentação fora do lar está em plena retomada e nos próximos meses mais empreendimentos abrirão as portas na capital

atualizado 22/10/2021 16:39

Chef Marco EspinozaTelmo Ximenes

Há algumas semanas, soltei uma coluna só com notas sobre futuros empreendimentos que Brasília conhecerá nos próximos meses. Volto ao assunto agora porque as novidades não param de chegar aos meus ouvidos e, vou confessar, adoro fazer fofoca do bem, ainda mais se envolver comida boa. Então, vamos a elas.

Japa latino

O chef peruano Marco Espinoza prepara mais uma operação gastronômica para Brasília, com abertura prevista para o período entre dezembro e janeiro. Trata-se de um restaurante de comida japonesa com influências latinas. “A comida nikkei é migrante, pode conter elementos de vários lugares”, afirma o chef. Para a elaboração do menu, ele contará com um especialista no assunto, que virá de São Paulo.

O ambiente de 70 lugares será bastante instagramável, a exemplo do Cantón, sua casa de cozinha chifa, aberta em 2021, no Brasília Shopping. Inclusive, o projeto é do mesmo arquiteto, o também peruano Cesar Lee. “Vai ser descolado, com atendimento informal e foco também no delivery”, adianta Espinoza, que só mantém segredo sobre o local, em adiantada negociação. Em breve, eu conto!

Enquanto as obras não começam, o chef está às voltas com a inauguração do Cantón, em São Paulo, e da hamburgueria Meat and Chili, no Rio de Janeiro.

Japa no lago

A comunidade japonesa e os amantes da cultura milenar do país têm encontro marcado entre 5 e 7 de novembro, no Clube do Congresso (QI 16 do Lago Norte). Das 9h às 21h, a Feira do Japão reunirá pratos frios e quentes como sashimis, tempurás, guiozas, yakisobas, tonkatsus e lámens. Os doces, dentre eles, manjus e mochis, também poderão ser degustados em ambiente aberto à beira do Lago Paranoá. Rosa Takematsu, Katsu Lámen, My Mochi e Sweet Bubble Tea são alguns dos empreendimentos que estarão vendendo as comidinhas.

Mais do que degustar os preparos, os visitantes poderão aprender mais sobre a culinária nipônica com o chef Kazumine Nohara, da residência oficial do embaixador do Japão. Nas aulas, ministradas em todos os dias do evento, ele irá compartilhar segredos para se preparar tempurá, udon e mousse de matchá.

Apresentações culturais também estão previstas para o período, mas o que deve emocionar a todos é a tradicional cerimônia Tooro Nagashi, na qual os visitantes poderão homenagear seus antepassados, incluindo os falecidos pela Covid-19, colocando lamparinas acesas para flutuar no lago. Os ingressos saem a R$ 20 e R$ 10 (meia) pelo Sympla (https://www.sympla.com.br/feira-do-japao-brasilia-2021__1372448).

Na QI 13

O edifício que fica atrás da Administração do Lago Sul vai receber um complexo gastronômico nos próximos meses. A ideia inicial era trazer o badalado Bagatelle, restaurante que une gastronomia e entretenimento, com unidades já consolidadas em Paris, St. Tropez, Rio de Janeiro e Tulum. Todavia, parece que o caldo derramou. Pelo que me contaram, agora a ideia é reunir mais de uma proposta gastronômica no térreo e um pub no subsolo. O proprietário do Soho, Cláudio Melo Filho, é quem articula a operação do espaço.

Novo app para comer

Nascido no Instagram há seis anos, o perfil Onde Comer Brasília é um guia para quem quer variar a ida a restaurantes. Agora, o casal Rodrigo e Danielle Pimenta se juntou a Alexandra e Alexandre Bento, e prepara o lançamento de uma plataforma que já reúne 25 empreendimentos parceiros e que deve fechar o ano com pelo menos 100 casas participantes. Chamado de Clube Onde Comer, o aplicativo oferece benefícios aos assinantes e deve estar disponível em novembro. No entanto, já é possível se cadastrar no www.clubeondecomer.com.br. Os 100 primeiros interessados ganharão duas semanas para testar a plataforma e contribuir com feedbacks para melhorar o sistema. “Queremos contribuir com a retomada do segmento que sofreu tanto com a pandemia. Cada restaurante oferecerá benefícios variados em pelo menos quatro dias da semana. É uma oportunidade de atrair mais público e movimentar as casas “, afirma Danielle. Em tempo de crise, toda ajuda é bem-vinda.

Danielle e o Rodrigo Pimenta, do Clube Onde Comer

Para mais dicas de onde comer bem, siga-me pelo Instagram no @lucianabarbo.

Últimas notícias
Mais lidas