Joias comestíveis: conheça os bombons artísticos de Thais Marega

A linha de doces da chef chocolatier é delicada e uma boa pedida para presente de Dia dos Namorados

Raimundo Sampaio / Especial para MetrópolesRaimundo Sampaio / Especial para Metrópoles

atualizado 08/06/2019 11:01

A chocolatier Thais Marega carrega em sua bagagem feitos importantes, como o cargo de chef da La Boulangerie do Lago Sul, quando apresentava pratos e buffet. Afastou-se um tempo da gastronomia e retornou anos atrás com uma bagagem invejável em produtos de chocolate.

Já falamos sobre seu surpreendente bolo Trovão de Chocolate e, depois de apresentar uma linha diversa para a páscoa, Thais traz bombons que mais parecem joias para presentear no Dia dos Namorados. São mais de dez sabores diferentes, desde mais tradicionais como leite ninho até complexos como champagne e creme brûlée. Conversamos com a responsável pelas delicadas peças.

Quando começou a trabalhar com chocolates?
Com os chocolates artísticos, em 2017. Formei em gastronomia pela Univali em 2006, fui me especializar em confeitaria a partir de 2013. Fiz cursos em Santa Catarina, em São Paulo e na academia LiliLoveme da Bielorrússia.

O que despertou o interesse nesse tipo de bombom?
A arte! Além de encantar o paladar por serem feitos com matérias-primas de alta qualidade (o chocolate é sempre o belga Callebaut) e combinações de sabores e texturas incríveis, eles são muito atraentes aos olhos. Encantam. Deixam as mesas de doces ainda mais atraentes e surpreendem os convidados ou quem é presenteado com uma caixa dos chocolates artísticos.

Como é a recepção do produto na cidade?
Muito boa. Estamos com alguns finais de semana já fechados para casamentos e festas de 15 anos. Também recebemos muitas encomendas de caixas de presentes e lembranças personalizadas para eventos corporativos.

Qual o maior trabalho de produção dessas joias?
Atenção aos detalhes: leva muito mais tempo a confecção desses chocolates do que a dos bombons tradicionais.  A pintura é feita com manteiga de cacau colorida que, como o chocolate, deve ser temperada e mantida na temperatura ideal de uso. Isso exige um ambiente climatizado e muita atenção às temperaturas das manteigas coloridas, a cristalização de cada cor para poder fazer as sobreposições e, por fim, é indispensável um chocolate corretamente temperado. Todo esse cuidado resulta em bombons bem acabados, com muito brilho e textura impecável.

O que você faz para conseguir formas tão diferenciadas?
Tem uma empresa brasileira que me fornece a maioria dos meus moldes, é a Gramado Injetados. E também compro moldes da Bélgica, da empresa Chocolate World.

Qual o próximo passo?
Boa pergunta (risos). Acredito que seja começar a dividir esse conhecimento adquirido em tantos cursos, mas principalmente com a prática: nada melhor que o dia a dia para deixar as técnicas de produção mais fluidas e agilizar todos os processos. Assim estou desenvolvendo cursos de chocolateria artística para quem quer começar do zero e também para quem quer renovar os conhecimentos e aprender novas técnicas a fim de deixar seu menu mais moderno.

Últimas notícias