Hamburgueria Madre Teresa Deli em expansão: um empório vem aí

Saiba tudo sobre as novidades no menu e no projeto da "hamburgueria mais pobre do mundo", localizada em Taguatinga

atualizado 06/07/2021 17:59

Foto: Hugo Barreto/Metrópoles

Quem comeu na Madre Teresa Deli provavelmente se apaixonou pelo sabor e pelo ambiente da hamburgueria. Em pouco mais de três anos de funcionamento, o pequeno comércio comandado por Daniel Larsan em Taguatinga Sul conquistou fãs por todo o Distrito Federal

Agora o restaurante que homenageia a santa católica vai crescer para os lados e oferecer mais espaço aos clientes. Além disso, o proprietário destaca que sempre quis oferecer uma experiência relaxante.

“Quero que as pessoas vivam um momento com quem amam. Nossa empresa não é só sobre alimentar pessoas fisicamente, é sobre alimentar a alma mesmo. Isso é um propósito desde o início”, enfatiza Larsan.

Confira o que o Metrópoles descobriu em primeira mão sobre os planos para a Madre Teresa Deli!

No espaço, é possível encontrar mensagens religiosas nas paredes
Paróquia do hambúrguer

A casa passará a ter três espaços integrados, mas cada um com um conceito. De um lado será construída a Paróquia do hambúrguer, inspirada em igrejas ortodoxas russas e batizada carinhosamente pelos clientes. “Esse foi o melhor apelido que a gente ganhou.”

O ambiente terá referências com catedrais. Por lá os clientes devem encontrar a mesma iluminação que caracteriza a casa, mas também pinturas comuns nos altares católicos. “Tudo ainda está no campo do sonho, mas essa é a hora de sonhar. Então vamos sonhar alto”, enfatiza o proprietário. 

La pobrecita

Outro sonho que vai sair do papel é a lojinha com produtos feitos na casa. A La Pobrecita chega para atender uma demanda de quem é fã dos ingredientes usados na cozinha. 

De acordo com o dono, as pessoas sempre perguntam como comprar o picles, o biscoitinho, o pastrami, o ketchup. E agora ele vai oferecer esses insumos ao lado da hamburgueria. “A gente vai dar a oportunidade para quem quiser brincar de reproduzir o Madre Teresa em casa.”

0

Por lá os frequentadores vão encontrar também alguns souvenirs da marca, como bonés e camisetas. Além disso, o espaço oferecerá artigos religiosos, como terços e imagens da padroeira da casa. Mas não é só. 

“A ideia é que ela também tenha um quê de lanchonete. Não só vender os produtos expostos, mas se o cara quiser chegar a tarde e comer algo especial, bem a nossa cara, vamos poder oferecer”, pontua Daniel Larsan. 

Menu cresce também

Qualquer pessoa que passou pelo Madre Teresa Deli percebeu que a simplicidade proposta também aparece no menu. São apenas quatro opções de hambúrguer, além de dois acompanhamentos, uma sobremesa e as bebidas. Mas o cardápio vai crescer junto com o espaço. 

O proprietário ainda faz mistério sobre as novidades, mas adianta que tem ideias de sanduíches de quibe cru e salmão defumado. Além disso, avisa que pretende inserir outras bebidas, como café e chá gelado, assim como aumentar a lista de sobremesas. “Tem um monte de coisas que a gente gostaria de inserir no cardápio, então acho que ele vai dar uma enriquecida. Mas tudo vai ser colocado com o tempo.”

quatro hambúrgueres sobre mesa
Ortega, Deli (ao fundo), Chesteron e Santa Cruz (na frente) são os hambúrgueres da Madre
Único endereço

Ao Metrópoles, Daniel Larsan revelou que “está totalmente fora de cogitação abrir (uma Madre Teresa Deli) em outro lugar”. Diferente do movimento comum que as marcas seguem de crescer e conquistar outros endereços pela cidade, e até pelo país, ele pretende ter apenas o ponto em Taguatinga. 

“Nosso pensamento é ter uma vida pacata. E essa empresa vai nos permitir realizar esse sonho: oferecer algo de muita qualidade para a cidade, mas, mesmo assim, termos uma vida tranquila. Abrir filiais, crescer mais do que nós vamos crescer, seria contra tudo que a gente acredita, de ser pequenininho, de tirar daqui nosso sustento”, explica. 

Ele conta ainda que com a reforma e expansão do espaço vão poder atender mais que o dobro de pessoas que conseguem hoje, indo de 40 para 90 clientes. “Acho que a gente chegou a um limite de crescimento físico que já está bom. Se Deus abençoar e a gente continuar com o ótimo movimento que estamos, para mim está ótimo”, ressalta. E brinca: “A empresa que sempre foi pensada para ser pequenininha está até grande mais”. 

Mais lidas
Últimas notícias