A céu aberto: 7 restaurantes ao ar livre para curtir o fim de semana no DF

O Metrópoles elencou endereços que oferecem contato com a natureza, comida boa e muito espaço livre

atualizado 21/09/2020 12:16

Almoço em família ao ar livreReprodução/ FreePik

A pandemia e o isolamento social chegaram com tudo em março no país. E, com eles, novos hábitos de consumo e dia-a-dia também tomaram conta do cotidiano de todos. Deste o dia 15 de julho, quando foi decretada a flexibilização da quarentena pelo Governo do Distrito Federal (GDF), as pessoas têm procurado cada vez mais locais que oferecem uma boa comida, privilegiando ambientes abertos e com maior circulação de ar.

De mesas espalhadas no jardim a varandas, o Metrópoles elencou alguns lugares para ir e respirar ar puro durante um almoço em família ou um jantar especial. Um deles é o Brasis Ateliê Gastronômico, que já está de portas abertas para receber os visitantes. Chefiado por Di Oliveira, o espaço localizado no Lago Oeste conta com jardim rico em diversidade de flora e mesas separadas, como manda a regra.

Além do contato com a natureza, o cliente é recebido com um menu recheado de pratos autorais e releituras, desde frutos do mar a pratos vegetarianos, sem perder a cultura do país e sempre com toques especiais da chef. Para começar, o destaque fica com os dadinhos de barriga de porco, servidos com geleia de goiaba e abacaxi (R$ 28) e a couve flor grelhada na manteiga com molho de queijo canastra, que sai a R$ 28.

Nos pratos principais, os holofotes ficam por conta do camarão com coco verde, que leva lascas e a água da fruta, além de arroz com amêndoas e farofa de banana da terra (R$ 54). Outra boa pedida é o filé do Cerrado (R$ 42), que é composto por um filé mignon alto, grelhado ao molho de framboesa do Cerrado e aligot de queijos emmental e canastra.

Os vegetarianos também não se decepcionam com a casa e podem degustar o risoto de cogumelos e tofupiry, R$ 36. O adocicado no paladar fica por conta do romeu e julieta da chef. Sucesso dentre os que frequentam o local, o doce é feito com discos de massa crocante, lascas de queijo canastra, geleia de goiaba, lascas de amêndoa e calda de goiaba (R$19).

Após tantas etapas, que tal descansar? O espaço conta com um redário, perfeito para aquela “preguicinha” pós refeição. Além disso, quem passar por lá ainda pode admirar a vista privilegiada que o ponto tem da Área de Proteção Ambiental do Lago Paranoá. Para ir ao local intimista, faça uma reserva prévia.

Quando se fala em descanso, sair da correria do concreto e ir para um ambiente bucólico parece “resetar” o cansaço acumulado pelas semanas. Tudo isso pode ficar ainda melhor se agregado a uma boa rede enquanto a “molecada” corre e brinca. É exatamente essa a proposta do Vista Linda. O local, especializado em gastronomia capixaba (pense em uma moqueca caprichada), oferece — além da vista deslumbrante — casa de boneca, mesas de sinuca, redário, trilha no Cerrado e parquinhos.

Entre as opções de pratos que o chef e proprietário Gouthier Dias indica para os pequenos estão o estrogonofe de carne ou frango, acompanhado de batata palha e arroz (R$ 28), ou o picadinho guarnecido de arroz e batata frita (R$ 26). Outra pedida recai nas moquecas (a partir de R$ 134,90, para duas pessoas), feitas à moda capixaba, claro.

Aos sábados, domingos e feriados, a Hípica do Lago Sul, ganha um atrativo extra. Além do parquinho, da área verde e claro, dos cavalos, o público pode se sentar no restaurante do local, a Cantina Dolce Mamma, e se deliciar com um farto e atraente café colonial (R$ 26,90, por pessoa; R$ 15, para crianças de 5 a 10 anos, menores de 5 anos não pagam). Na mesa servida, o cliente encontra ovo mexido, molho de salsicha, cuscuz, bolos, pães, biscoitos, além de tapiocas e waffles feitos na hora.

Outro ponto diferenciado para conhecer é o Shalom do Vale. Além de contar com um espaço grande e arejado, a casa tem um forte apelo para a natureza, com horta, muito espaço verde e animais como búfalo, bezerro e cabras para alimentar e dar carinho. No menu, os combos família podem ser com o bife de ancho e/ou chorizo (R$ 169,90), carne de sol angus (R$ 125,90) ou medalhão de alcatra angus (R$ 139,49). Além da proteína, o comensal tem direito a escolher quatro acompanhamentos, entre arroz branco, batatas rústicas, vinagrete Shalom, batata frita, legumes salteados na manteiga, farofa de bacon, farofa de ovos e feijão tropeiro.

Para quem preferir, a casa conta com a feijoada especial completa, que serve de quatro a seis pessoas. O prato típico brasileiro vai acompanhado de arroz, couve refogada, farofa de bacon, torresmo de panceta e laranja e custa R$ 140.

Ainda no Jardim Botânico, o Empório da Mata aparece como um oásis em meio ao universo urbano da cidade. Para comer, a boa pedida é o espaguete de abobrinha com molho de tomate fresco e manjericão (R$ 37). O preparo é feito na casa e o manjericão colhido na horta da qual a chef e proprietária Lídia Isaias tira outros temperos, como salsinha, hortelã, tomilho e cebolinha.

Outra opção que costuma chamar a atenção dos pequenos, e também dos grandes, é o Encanto (R$ 20, porção com 12 unidades). Os pastéis são feitos com massa artesanal e recheados com muçarela e orégano. A sobremesa pode ser a taça de manga ao coco (R$ 22), que leva cubinhos da fruta cozidos no açúcar queimado com leite de coco servidos com sorvete de coco e amêndoas tostadas.

A pouco mais de 30km do centro de Brasília, o Trem da Serra une contato com a natureza, diversão e gastronomia para garantir uma experiência gostosa para adultos e crianças. O espaço é comandado pelo empresário Renato Bravo e conta com um cardápio repleto de receitas de família da mãe de Renato, Dona Carminha.

Para começar as refeições na casa, uma boa dica é o trio da roça (R$ 59,90), que vem com linguiça de pernil, torresmo e mandioca frita, aperitivos clássicos da casa. O almoço pode ficar por conta do carro-chefe, o leitão à pururuca (R$ 299,90). O pernil de leitão de 50 dias é acompanhado de arroz colorido, couve refogada, mandioca frita e feijão-tropeiro e serve até seis pessoas.

Para finalizar a refeição com um gostinho de comida da roça, a indicação é o mineiro gelado (R$ 25,90). A delícia é uma versão caipira do petit gatêau, feita com bolo de milho quente com doce de leite quente, sorvete de creme e pedacinhos de castanha de caju.

Por fim, quem gosta de aproveitar o dia e não quer abrir mão da segurança pode visitar o Hotel Fazenda Brasília Resort. O local recebe a clientela de duas formas. A primeira é como parte do day use (R$ 40, por pessoa; R$ 20 para crianças de 6 a 11 anos; menores de 5 anos não pagam), em que a pessoa tem direito a passar o dia no local e a usufruir da infraestrutura. Já o outro modelo é a hospedagem, que sai por R$ 350, o casal — com café da manhã e jantar inclusos.

Para comer, o filé à parmegiana (R$ 65,90) com batata frita, salada e arroz ou espaguete é um tiro certeiro. O preparo é um queridinho das crianças, mas também não faz feio com os pais. Outra pedida que também é muito querida no hotel fazenda é o peixe especial da casa (R$ 65,90) guarnecido de arroz, feijão carioca, farofa, batata frita e salada.

Segurança em primeiro lugar

O Metrópoles reconhece que o momento é delicado e merece cuidados especiais para prevenir o contágio da Covid-19 em famílias de clientes e funcionários de todos os estabelecimentos listados nesta matéria.

Reiteramos que é necessário esforço redobrado para que a saúde coletiva seja preservada. Todos os locais escolhidos pela reportagem para a composição deste roteiro estão seguindo as normas de segurança estabelecidas pelo Governo do Distrito Federal (GDF).

Brasis Ateliê Gastronômico

Lago Oeste, rua 12, chácara 77. Telefone: (61) 99446-2540. Sextas, sábados, domingos e feriados. Horário mediante reserva.

Vista Linda

Núcleo Rural Lago Oeste, Rua 14, chácara 379. Telefone: (61) 3302-5939. Sábado e domingo, das 12h às 16h, mediante reserva. Para outras datas é necessário agendamento prévio.

Cantina Dolce Mamma

Rodovia 001, KM 26, Fazenda Piquet. Telefone: (61) 982048228. De terça a sexta, das 8h30 às 12h30 e das 14h30 às 18h30; sábado e domingo, das 8h às 12h.

Shalom do Vale

Condomínio Mansões Serranas, cháraca 14c – Jardim Botânico. (61) 99867-0893. Sábados e domingos, das 8h às 16h. 

Empório da Mata

SHJB, Mansões Mata da Anta, Cond Vila Empório da Mata – Ch 15. Telefone: (61) 3247-1312. Quarta e quinta, das 19h às 23h. Sexta e sábado, das 12h às 16h e das 19h à 0h. Domingo e feriados, das 12h às 17h.

Trem da Serra

Núcleo Rural 2, ch 46, Sobradinho. Telefone: (61) 99965-7446. De sexta a domingo, das 11h às 17h.

Hotel Fazenda Brasília Resort

BR-060 km 20. Telefone: (61) 99333-7792. De quinta a domingo, das 9h às 17h.

 

Últimas notícias