Análise: Anitta está no meio de mais uma briga e começa a se isolar

Cantora de fama nacional e internacional, a funkeira merece elogios pelo talento, mas tem tropeçado na convivência com colegas de palco

Getty ImagesGetty Images

atualizado 09/10/2019 12:56

“Vês! Ninguém assistiu ao formidável. Enterro de tua última quimera. Somente a Ingratidão — esta pantera. Foi tua companheira inseparável”. O trecho de Versos Íntimos, um dos grandes poemas de Augusto dos Anjos (1884-1914), serve de alerta a Anitta.

Você pode estar se perguntando o que o poeta e a popstar brasileira têm em comum? Artisticamente, é fato, pouca coisa! Mas Anitta deveria reler com atenção os versos. Nele, Augusto dos Anjos fala da solidão, com um certo tom de pessimismo, argumentando que somente a ingratidão acompanhou a última quimera do personagem.

Esse passo ao completo isolamento parece estar, cada vez mais, próximo de Anitta. Se são verdade as recentes fofocas divulgadas por Leo Dias, do Portal Uol, a artista rompeu com mais uma colega: a funkeira Ludmilla.

Conforme Dias, Ludmilla apresentou o hit a Anitta, que sugeriu um feat. com Snoop Dogg. Porém, ao registrar a música, a dona de Bang colocou seu nome na composição. Por isso, as funkeiras teriam discutido pelo WhatsApp e rompido a amizade.

O entrevero, ao que tudo indica, nada tem de ilegal. Anitta teria direito ao crédito por conta da produção musical. A questão que fica é: na última quimera de Anitta, quem estará do lado dela?

Case de sucesso

Anitta é um dos casos de sucesso mais impressionantes do Brasil: cresceu rapidamente, virou estrela nacional, chegou ao sonhado Rock in Rio, lançou uma carreira internacional, gravou com celebridades do mundo inteiro, virou documentário da Netflix. Uma lista que faz jus ao talento da artista.

Porém, Anitta acumula brigas com suas “concorrentes” no Brasil: Pabllo Vittar foi a primeira. As duas romperam após Sua Cara, os motivos especulados foram gastos no clipe e divulgação. Agora, Ludmilla também teria decidido cortar relações.

Como todos essas tretas, Anitta cola em si a fama de antipática e vai se isolando no cenário pop. E mesmo que injusta, a fama pode fazer a cama. A artista, segundo quem convive com ela, é focada em atingir o sucesso, em conseguir seus objetivos. Ela também é empresária e está sempre presente nas decisões sobre sua carreira. São traços muito positivos, mas que podem ser apagados em meio a tantas confusões.

Mercado

Do ponto de vista musical/mercadológico, esse isolamento de Anitta é contraproducente. Na década de 1990, por exemplo, a axé music dominava as paradas brasileiras e as revistas de fofoca, que relatavam brigas entre os astros do cenário.

Anos depois, o movimento perdeu fôlego e vive, atualmente, de saudosismo e nomes esporádicos. Em contrapartida, o sertanejo clássico se uniu ao “universitário”, com cantores juntos, abraçando novos artistas e criando parcerias. Como resultado, o estilo domina o cenário nacional.

Anitta tem, em seu currículo, o mérito de ter trazido o funk com tudo para o cenário pop. Mas, com essas constantes brigas, pode se isolar e, pior ainda, enfraquecer um dos mais incríveis movimentos culturais do Brasil nos últimos anos. Anitta, por favor, pare de dar trabalho numa onda diferente.

Últimas notícias