Vídeo. Médico se exalta com técnico por causa de cabo de carregador

Nervoso, o clínico geral disse que o técnico "perderia o emprego", frase considerada uma ameaça pelo homem. Confusão ocorreu nessa terça

atualizado 23/03/2022 8:43

Homem parado perto da porta dentro de um quarto escuroDivulgação/Material cedido ao Metrópoles

Um técnico de enfermagem da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Planaltina acusa o médico David Rogerio Fiori de ameaça. Por volta das 5h dessa terça-feira (22/3), o trabalhador descansava em uma sala de repouso, quando foi abordado pelo clínico geral, que aparentava estar bastante exaltado. Ao Metrópoles o Instituto de Gestão Estratégica do Distrito Federal (Iges-DF) confirmou o episódio e ressaltou que o profissional será advertido.

Segundo o funcionário, que pediu para não ter o nome identificado, o plantonista o cutucou e disse que era para ele se levantar da cama, pois o local estaria reservado para um cabo de carregador de celular conectado na tomada para uso do médico.

Ainda de acordo com o técnico, nos momentos seguintes, David começou a insultá-lo dizendo que “perderia o emprego”, em uma suposta ameaça, na visão do técnico.

Veja no vídeo:

0

Pelas imagens, é possível ver o médico em pé falando com o técnico deitado na cama. “Não faça mais, tá? Tá bom? Olhe para mim; não faça mais isso. Tá beleza? Juro por Deus. Juro por Deus que perco meu emprego? Eu perco, juro por Deus. Estou contando com você, meu irmão. Vou avisar o pessoal, tá?”, alertou o plantonista.

Ainda de acordo com o técnico de enfermagem, ele “se segurou” para não brigar com o médico naquele momento. Também afirmou que tomará tomas as medidas cabíveis para denunciá-lo. Ele afirma que este é a primeiro registro de ameaça do médico.

A reportagem do Metrópoles tentou contato com o médico David Rogerio Fiori por telefone, mas não obteve retorno. O espaço permanece aberto para eventuais manifestações.

O que diz o Iges-DF

Procurado pelo Metrópoles, o Instituto de Gestão Estratégica do Distrito Federal (Iges-DF) informou ter tomado conhecimento do ocorrido e que apura a situação. O Iges-DF  irá advertir o médico e “analisa as demais providências cabíveis”. O órgão é responsável pela gestão das UPAs no DF.

Mais lidas
Últimas notícias