Balanço mostra que 14 presos não voltaram após saidão de Dia dos Pais

Apenas em 2018, sete condenados favorecidos pelo benefício cometerem crimes. Um deles, no sábado, provocou um acidente com três mortes

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 15/08/2018 0:11

Um balanço da Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe) mostra que 14 dos 1.084 presos liberados no saidão de Dia dos Pais não retornaram às unidades na data prevista. Os detentos do semiaberto deixaram as celas na sexta-feira (10/8) e deveriam voltar até as 10h de segunda (13). Após esse prazo, são considerados foragidos.

Apenas neste ano, sete condenados que obtiveram o benefício da saída temporária cometeram crimes. Um deles é Paulo Bras de Oliveira Júnior, 23 anos, responsável por um grave acidente na tarde do último sábado (11).

Paulo Bras roubou um carro modelo Mitsubishi TR4 , na 505 Sul, e fez tia e sobrinho reféns. No entanto, policiais viram quando o homem praticou o roubo. O suspeito, então, fugiu e sequestrou a mulher e a criança. O assaltante chegou a atirar na direção dos militares.

O ladrão seguiu pelo Eixão Sul em alta velocidade. No fim da via, sentido Aeroporto, perdeu o controle do veículo ao fazer uma manobra brusca e bateu de frente com uma Kombi que vinha no sentido contrário.

Desgovernada, a Kombi colidiu com outro veículo, um Ford Ecosport, no qual havia cinco ocupantes. O condutor e a passageira da Kombi, que capotou, morreram no local. Um idoso de 73 anos, que estava no Ecosport, não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital na tarde dessa segunda (13).

O direito à saída especial é concedido aos detentos que estão cumprindo pena em regime semiaberto – beneficiados com autorização judicial. Os que não se apresentaram no dia estabelecido são considerados foragidos, podem perder o direito ao regime semiaberto e responder a inquérito disciplinar.

Qualquer pessoa pode fornecer informações sobre os foragidos pelos telefones 190 (Polícia Militar), 197 (Polícia Civil), via WhatsApp (61) 98626-1197 da Polícia Civil ou no número 3339-1345 (DPOE – Sesipe).

Últimas notícias