Hospital do Paranoá passará por reforma e receberá novos equipamentos

Com o novo nome de Hospital da Região Leste, a unidade de pronto-socorro deve aumentar a capacidade de exames em 150%

Michael Melo/MetrópolesMichael Melo/Metrópoles

atualizado 10/08/2019 20:41

O Hospital da Região Leste, antigo Hospital Regional do Paranoá, passará por reformas e receberá novos equipamentos. A unidade de saúde usará parte dos R$ 2,7 milhões disponibilizados pelo Governo do Distrito Federal para melhorar o pronto-socorro e o centro cirúrgico. Além disso, serão feitas adequações na radiologia, com a instalação do novo tomógrafo, que permitirá aumentar em 150% a oferta de exames.

Na emergência, a capacidade de leitos no box vai aumentar de quatro para oito. Já no centro cirúrgico, serão feitas obras de manutenção para eliminar goteiras no telhado. A revisão e modernização do sistema de ar-condicionado também estão previstas.

Durante visita ao hospital, realizada neste sábado (10/08/2019), o secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto, afirmou que as mudanças fazem parte do “trabalho para assegurar atendimento de qualidade aos pacientes”.

Acompanhado do secretário-adjunto de Gestão, Sérgio Luiz da Costa, o chefe da pasta percorreu diversos setores do hospital e ouviu as demandas apresentadas pela superintendente da Região de Saúde Leste, Raquel Bevilaqua.

Mudanças

Entre as mudanças anunciadas, algumas medidas começaram a ser implementadas. O novo tomógrafo, adquirido pela pasta, está em instalação. O equipamento antigo, com pelo menos 20 anos de uso, que tem oito canais, será substituído por outro, com 80 canais.

“Hoje são feitos 520 exames por mês. Com o novo aparelho, será possível fazer aproximadamente 800”, informou a superintendente, ao destacar que o exame é fundamental na unidade, que é referência em cirurgia de coluna.

O novo mamógrafo da unidade já está funcionando, em fase de testes, e ficará disponível para os pacientes ainda em agosto. No Hospital da Região Leste são feitos cerca de 880 exames de raio X mensais e 790 ecografias.

Na UTI, com capacidade para dez leitos, será instalada uma sala de ambiência, para acolher os familiares de pacientes internados. Uma medida já adotada com o objetivo de humanizar o atendimento aos parentes dos pacientes que ficam na UTI foi a ampliação do horário de visitas para o período das 14h às 20h.

Outras visitas

Okumoto também foi à Unidade Básica de Saúde nº 3, onde são atendidos 24 mil moradores do Paranoá Parque. Na UBS, que há um mês conta com farmacêutico, serão feitas intervenções para expansão da farmácia. Com isto, destaca a diretora de Atenção Primária da Região Leste, Mirlene Guedes de Lima, será possível iniciar a dispensação de psicotrópicos na unidade. A UBS 3 conta com seis Equipes de Estratégia Saúde da Família e funciona de segunda-feira a sábado.

Além do hospital regional, a Região de Saúde Leste conta com 24 unidades básicas de saúde no Paranoá, São Sebastião e Itapoã, onde 62 equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF) atendem 160 mil pessoas. Outras quatro equipes de ESF trabalham em quatro unidades básicas de saúde prisionais, no complexo da Papuda, garantindo assistência a 40 mil internos.

A estrutura de saúde pública da região inclui, ainda, dois Centros de Atenção Psicossocial, duas policlínicas, uma Casa de Parto e uma Unidade de Pronto Atendimento, em São Sebastião.

No Hospital da Região Leste, por mês, são feitos, em média, 250 partos e 250 cirurgias. O laboratório, que atende toda a região de saúde, recebe semanalmente aproximadamente 700 amostras para exames de pacientes das unidades básicas, além do material coletado para exames laboratoriais dos 200 pacientes atendidos diariamente no pronto-socorro e ambulatório. O laboratório conta com equipamentos, materiais e profissionais capacitados para realização de exames de hematologia, bioquímica, bacteriologia, imunologia e parasitologia.

Últimas notícias