Para Rollemberg, Ibaneis está “se enforcando com as próprias palavras”

Em sabatina com empresários, o atual governador não poupou o adversário de críticas e apresentou propostas ao setor produtivo

atualizado 16/10/2018 17:19

Michael Melo / Metrópoles

Em sabatina realizada na manhã desta terça-feira (16/10) pela Federação do Comércio do Distrito Federal (Fecomércio-DF), no Lago Sul, o aspirante à reeleição ao Palácio do Buriti, Rodrigo Rollemberg (PSB), condenou a ausência do concorrente, Ibaneis Rocha (MDB), no evento. Para o socialista, o adversário está “se enforcando com as próprias palavras”.

De acordo com o governador, o emedebista não tem como explicar as promessas que está fazendo. “Como o Ibaneis vai falar aos empresários que tem conhecimento de economia se vai dar 37% de aumento para as polícias Civil e Militar e ao Corpo de Bombeiros, mais os reajustes para todas as categorias profissionais, se tudo isso custa R$ 4 bilhões ao ano? E ainda diz que vai reduzir os impostos, o que significa menos R$ 2 bilhões por ano [no orçamento]”, disparou o atual gestor do GDF.

Rollemberg disse ser essencial que os eleitores não “se deixem enganar por falsas e mirabolantes promessas”. “O que vai acontecer, se esse candidato ganhar a eleição, é o caos nesta cidade, porque, matematicamente, é impossível cumprir o que ele diz”, ponderou.

Cancelamento
Na segunda-feira (15), o emedebista cancelou a participação na sabatina. Conforme justificativa da assessoria do candidato, os “compromissos extremos de agenda levaram a essa decisão”. Empresário, o ex-buritizável Alexandre Guerra (Novo) esteve no local e desaprovou a ausência de Ibaneis. “Uma total falta de compromisso dele com o setor. Fica claro que tem um discurso vazio em prol do empresariado”, frisou.

Ao longo do evento, Rollemberg voltou a criticar o oponente. “É um crime um candidato dizer que vai acabar com o Instituto Hospital de Base se ganhar a eleição. Primeiro, tenho certeza de que não vai. É mais uma mentira. Ele fala isso porque acha que assim vai ganhar o voto dos servidores”, declarou.

Redes sociais
O governador tem aproveitado todos os meios de comunicação para atacar o concorrente. No Facebook, Rollemberg postou um programa de rádio com frases de efeito, acusações pessoais e um jingle com o refrão “Ibaneis não”. No programa apresentado pela jornalista Mônica Nóbrega, o titular do Buriti diz que não se pode separar a vida privada da vida pública de um político.

O socialista acusa o advogado de ter recebido R$ 3 milhões das regiões mais pobres da Bahia. “Significa quase três mil crianças fora da escola durante um ano num município”, disse. Ainda segundo o governador, o concorrente defende assassinos e grileiros. “Isso demonstra que ele não tem valores cristãos. O sucesso profissional dele é ganhar dinheiro. Uma pessoa dessa não vai se preocupar com os mais pobres, só agora que é eleição.”

 

Veja o programa de Rollemberg:

Burocracia
Na sabatina desta terça-feira (16), o governador respondeu a 15 perguntas acerca do desenvolvimento econômico e social da capital federal, elaboradas por representantes dos sindicatos associados à Fecomércio-DF. Entre os principais temas, estava a melhoria no ambiente de negócios.

O socialista prometeu elaborar o Código de Defesa do Contribuinte, caso seja reeleito. “Reconheço termos muito o que avançar, especialmente, na aplicabilidade e desburocratização dos processos”, completou. Rollemberg destacou, como realização de sua gestão, o lançamento do registro e licenciamento de empresas (RLE) digital como facilitador do trâmite para abertura de empresas de baixa complexidade.

Outro ponto levantado foi referente ao modus operandi repressivo da Agência de Fiscalização (Agefis). Para os empresários, o órgão dificulta a obtenção de alvarás. Em resposta, o candidato do PSB alegou que a instituição é indispensável ao DF e será necessário fortalecê-la e modernizá-la “para que possa atuar preventivamente”.

Turismo
Na ocasião, Rollemberg também foi cobrado a respeito do incentivo ao turismo em Brasília. “Devemos melhorar os equipamentos turísticos. A reforma do Teatro Nacional é uma prioridade e já estamos arrumando a Torre de Televisão. A infraestrutura na Orla do Lago Paranoá, que, certamente, será um dos locais de maior atração no DF, e as parcerias com a iniciativa privada (…) irão trazer grandes eventos internacionais e nacionais”, apostou.

Antes de terminar, o postulante ao GDF ainda admitiu falha na sua articulação política com a Câmara Legislativa. “Fizemos concessões que eu não faria no próximo governo. (…) Hoje, tenho um conhecimento muito melhor de como funciona as coisas, e a nossa agenda será mais leve”, explicou o chefe do Executivo local.

Ao final, Rollemberg disse que, independentemente de quem ganhar as eleições, o próximo ano será difícil de gerir. “Ninguém vai governar sozinho. Ninguém vai conseguir governar com gravatas e nem com promessas irresponsáveis”, salientou.

Debate
Na quarta-feira (17), a partir das 19h30, o Metrópoles promove debate entre Rollemberg e Ibaneis. Os buritizáveis estarão ao vivo no estúdio do portal para discutir propostas e tentar convencer o brasiliense quem é o melhor nome para comandar o DF nos próximos quatro anos.

Em parceria com rádios, o site formou uma grande rede de comunicação para alcançar o maior número possível de eleitores. Além da Metrópoles FM (104,1), o evento será transmitido, simultaneamente, pelas emissoras Redentor AM (110), Rádio Atividade FM (107,1),  Rádio Supra FM (90,9), JK FM (102,7) e JK AM (1410). Juntas, as estações alcançam, em média, 60 mil pessoas por minuto.

Nesta edição, o debate terá quatro blocos. Os postulantes vão responder a perguntas dos jornalistas, poderão fazer questionamentos entre si acerca de temas livres e de outros sorteados. Há também a opção de acompanhar a transmissão em tempo real no próprio portal e nos perfis do Metrópoles no FacebookYouTubeTwitter.

Mais lidas
Últimas notícias