*
 

A menos de 24 horas do segundo turno das eleições, a disputa ao Palácio do Buriti continua movimentando o Judiciário. O candidato do MDB, Ibaneis Rocha, ingressou neste sábado (27/10) com nova ação de investigação eleitoral contra o adversário na corrida ao Executivo local, Rodrigo Rollemberg (PSB), por abuso de poder. A coligação do emedebista acusa o governador de usar bem público na campanha.

O documento sustenta que, na véspera do primeiro turno, em 6 de outubro, um veículo descaracterizado da Defesa Civil do Distrito Federal transportava materiais de campanha de Rollemberg quando se envolveu em um acidente. De acordo com o ação, após a polícia comparecer ao local e antes da chegada da perícia, um agente do órgão do GDF retirou do interior da viatura cartazes de propaganda política do socialista e guardou em outro lugar.

Com base no texto, houve infração da lei eleitoral, que proíbe aos agentes públicos “ceder ou usar, em benefício de candidato, partido político ou coligação, bens móveis ou imóveis pertencentes à administração direta ou indireta.” A defesa do MDB pede a cassação do registro e a inelegibilidade do concorrente por oito anos.

“Entrego na mão da Justiça, que eu confio. Um fato grave como aquele não poderia ter deixado de ser comunicado ao Poder Judiciário. Eles farão a apuração e, se houver crime eleitoral, farão o encaminhamento correto”, afirmou Ibaneis ao Metrópoles.

Para Rollemberg, a ação é “factoide político”. Na manhã deste sábado (27), durante atividade de campanha no Plano Piloto, o governador negou a irregularidade e voltou a atacar o emedebista. “Ele, sim, é acusado de abuso de poder econômico e de compra de voto e, na eventualidade de ser eleito, a possibilidade de cassação é enorme”, contra-atacou o gestor.

Confira a íntegra do documento

AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL by Metropoles on Scribd