*
 

A estrutura do governo de transição está desenhada. A equipe do governador eleito, Ibaneis Rocha (MDB), prevê uma organização em três níveis: gabinete de transição, áreas estratégicas e áreas fins. O primeiro grupo é o mais importante e comandará todo o restante. Ele deve contar com coordenações técnica, política, institucional e de compliance, entre outras subdivisões. A previsão é que 10 pessoas integrem a cúpula.

Assuntos relacionados à articulação institucional e planejamento serão discutidos em nível estratégico. O núcleo técnico é formado pelas áreas fins, a exemplo de saúde, educação, desenvolvimento econômico e meio ambiente. O arranjo foi tema de reunião nesta quinta-feira (1º/11) entre a equipe do emedebista. Estavam presentes o vice-governador eleito e coordenador-geral da transição, Paco Britto (Avante), o próximo secretário de Fazenda André Clemente e o coordenador de comunicação da campanha Paulo Pestana.

Ao Metrópoles, Paco disse que após encontro com o secretário da Casa Civil, Sérgio Sampaio, na tarde desta quinta (1º), divulgará as novidades. A reunião será às 16h, no Palácio do Buriti. A expectativa é de que sejam anunciados os núcleos e os coordenadores.

Por enquanto, os nomes certos são: Denise Fonseca, advogada, que atuará na área das estatais; Renato Grillo Ely, do setor mobilidade e transportes; e André Clemente.

Ibaneis anunciou, durante a semana, outros dois futuros secretários de Estado. A nora do ex-vice-governador Tadeu Filippelli (MDB) e presidente do MDB Mulher, a publicitária Éricka Filippelli, será a titular da Secretaria da Mulher na futura gestão. O vice-presidente do Clube de Engenharia de Brasília, Izídio Santos Júnior, ocupará a principal cadeira da Secretaria de Obras.

O governador eleito está em São Paulo para fazer um check-up no hospital Albert Einstein. O advogado disse à reportagem que pretende aproveitar a viagem para se reunir com o prefeito João Doria (PSDB) na próxima sexta (2).

Aproximação
Nessa quarta-feira (31/10), Clemente reuniu-se com o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima; e o secretário-executivo do Ministério da Educação, Henrique Sartori de Almeida Prado. Eles trataram da destinação de verbas da União para programas de interesse do Distrito Federal.

“Tivemos promessa de uma parceria para trazer recursos e, ainda, disponibilidade de equipe técnica para trabalhar durante a transição”, comentou Clemente. O deputado federal Vitor Paulo (PRB), coordenador da bancada do DF no Congresso, acompanhou as reuniões. Nesta quinta (1º), está agendado encontro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.