*
 
 

O vice-governador eleito do DF, Paco Britto (Avante), foi escolhido nesta terça-feira (30/10) como o novo coordenador-geral do governo de transição. “Estou muito honrado com a escolha e isso só reforça a confiança que temos um no outro desde o início de nossa campanha”, disse, em referência ao governador eleito Ibaneis Rocha (MDB).

Britto e Ibaneis terão o primeiro encontro para tratar da decisão na quarta-feira (31), na cidade de São Paulo, onde o emedebista fará check-up médico. Já na quinta (1º/11), o representante do Avante tem encontro agendado com o chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio.

Além de Paco Britto, o governador eleito já havia anunciado André Clemente como o futuro titular da Secretaria de Fazenda e representante da área na transição. O possível nome do secretário de Saúde na gestão Ibaneis deve ser o próximo a ser anunciado.

Comissão de Transição
O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) publicou decreto, no Diário Oficial do DF desta terça (30), criando a Comissão de Transição no âmbito do GDF. O grupo, formado por integrantes da Casa Civil e das secretarias de Planejamento, Fazenda, Saúde, Educação, Segurança Pública e do Trabalho, terá que entregar um relatório final com todas as informações do governo local até o dia 20 de dezembro.

Caberá à comissão reunir todas as informações referentes ao funcionamento da administração pública local. Conforme o decreto, o grupo deverá manter em sigilo as informações estratégicas necessárias à elaboração do relatório final.

Segundo Sérgio Sampaio, a intenção é garantir que a mudança seja harmoniosa. “Disponibilizaremos estrutura física e material para os trabalhos, assim como acesso aos documentos oficiais.”

Sampaio acrescentou que Ibaneis Rocha e a equipe indicada por ele terão apoio para iniciar a nomeação de servidores. Como parte do processo de transição, o governador eleito vai precisar contatar a Câmara Legislativa do DF para fazer emendas no orçamento aprovado em julho deste ano.

De acordo com o chefe da Casa Civil, é normal que essa etapa ocorra em mudanças de gestões administrativas. “Mas apenas para realocar os recursos de uma área para outra. Não é permitido aumentar o orçamento”, explicou.

Reprodução/DODF

 

Centro de Convenções Ulysses Guimarães foi escolhido para abrigar o gabinete de transição. A Casa Civil coordenará o processo pelo GDF.

É nesse período que o governador eleito vai definir seu secretariado. Ibaneis anunciou que pretende aumentar o número de secretarias, hoje fixadas em 21, sem que isso signifique criação de cargos. Ibaneis pretende enxugar os quadros mesmo ampliando o número de pastas. Ele tem arquitetado ideias para as nomeações, mas pretende amadurecê-las durante o período de transição.

Participarão do processo integrantes das secretarias de Fazenda, Planejamento, Educação, Saúde, Assistência Social e Segurança Pública. “A orientação do governador Rodrigo Rollemberg é buscar interação e maior harmonia possível com Ibaneis para passarmos todas as informações necessárias”, afirmou o secretário-chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio.

Ibaneis também se demonstrou tranquilo para o processo. Ele deixa a equipe de coordenação montada nesta terça (30) e viaja para São Paulo, onde fará um check-up médico. Ele volta a Brasília na próxima segunda-feira (5).



 


Políticaeleições 2018comissão de transiçãopaco brito