metropoles.com

Condenado na Caixa de Pandora, Rogério Ulysses é nomeado no GDF

O ex-deputado distrital passa a ocupar o cargo de diretor de Programas e Operações, da Secretaria Adjunta das Cidades, da Casa Civil

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução/Facebook
rogerio-ulysses
1 de 1 rogerio-ulysses - Foto: Reprodução/Facebook

O ex-deputado distrital Rogério Ulysses, condenado em segunda instância por improbidade administrativa e denunciado por corrupção no âmbito da Caixa de Pandora, foi nomeado nesta sexta-feira (11/1) no Governo do Distrito Federal (GDF). Ficha suja, ele está com os direitos políticos suspensos e proibido de ocupar cargo público até 2022.

Mesmo assim, o ex-parlamentar foi nomeado para atuar como diretor de Programas e Operações da Subsecretaria de Desenvolvimento Regional e Operações nas Cidades, da Secretaria Adjunta das Cidades, da Casa Civil do Distrito Federal. No cargo de CNE-07, receberá ao menos R$ 4.684,66.

Reprodução/DODF
A nomeação do ex-deputado distrital Rogério Ulysses foi publicada na edição do Diário Oficial do DF

Trata-se do sexto ex-deputado distrital a ganhar espaço na estrutura do GDF. Derrotado nas urnas em 2018, Cristiano Araújo (PSD) foi indicado para a Diretoria de Administração do Metrô-DF; Wellington Luiz (MDB) comanda a Codhab; Raimundo Ribeiro (MDB) está na diretoria da Adasa; e Bispo Renato (PR) ficará na articulação política com a Câmara Legislativa. Washington Mesquita (PTB) ficou com a Subsecretaria do Idoso.

Rogério Ulysses foi condenado após as investigações da Caixa de Pandora, operação que levou ao afastamento do então governador José Roberto Arruda, em 2009. O ex-deputado distrital foi denunciado pelo Ministério Público por supostamente ter recebido uma “mesada” de R$ 60 mil durante 35 meses para apoiar o governo Arruda (2006 a 2009).

A defesa alegou que não existem provas de favorecimento financeiro por parte do ex-parlamentar, mas os argumentos foram rejeitados pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) e a condenação mantida pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). O ex-deputado também é acusado de corrupção passiva.

Depois do escândalo da Pandora, Rogério Ulysses saiu da política.

O outro lado
Em nota, a assessoria de comunicação do GDF disse que a indicação do ex-deputado “não fere o compromisso de campanha do governador”. Afirmou, ainda, não haver condenação transitada em julgado.

“Ademais, trata-se de uma pessoa que tem profunda ligação com a comunidade, conhece os problemas das cidades do DF e é reconhecido até hoje como o melhor administrador de São Sebastião”, destacou o comunicado.

Ao Metrópoles, Rogério Ulysses afirma que o processo não chegou ao fim. “O Ibaneis, como uma pessoa do direito, sabe que só há condenação quando há sentença transitada em julgado”, assinalou.

O ex-parlamentar lembra que é servidor público concursado e agora foi convidado para assumir uma função diferente da sua, de professor. “O que o governador Ibaneis está fazendo é entender que posso ser mais útil na posição que ele me designou”.

O ex-deputado recorreu da condenação e sustenta, ainda, que há erros e falhas em seu processo e acredita que “muito em breve” será “absolvido integralmente”.  

“Não entendi, até hoje, porque falaram no meu nome em uma conversa na qual eu não estava. O MP fez um documento, um relatório sobre a minha vida e a conclusão é que nunca houve movimentação atípica. Estamos questionando a retirada desse documento dos autos”, acrescentou. Segundo ele, o delator do caso Caixa de Pandora, Durval Barbosa, admitiu que não o conhece.

Na nova função, Rogério Ulysses explica que não ficará responsável por orçamento: irá colaborar com o SOS DF, primeira medida de intervenção nas cidades anunciada pelo novo governador.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comDistrito Federal

Você quer ficar por dentro das notícias do Distrito Federal e receber notificações em tempo real?

Notificações