Obras de três novos hospitais de campanha do DF passam dos 70%

As unidades do Autódromo e do Gama têm 70% das obras já feitas. Ceilândia tem 75%. Juntas, unidades terão 300 leitos de UTI para Covid

atualizado 09/04/2021 19:11

Hospital de campanha Covid-19 autódromoIgo estrela/Metrópoles

Quatorze dias após iniciar as obras de três novos hospitais de campanha no Distrito Federal, a montagem das estruturas ultrapassa 70% de conclusão. De responsabilidade da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), as construções com 100 novos leitos de UTI com ventilação mecânica para pacientes com Covid-19 ficarão prontas até 14 de abril. A instalação de materiais e de aparelhos nos espaços deve levar mais 15 dias. A gestão de equipamentos e pessoas está a cargo da Secretaria de Saúde.

Segundo informações obtidas pelo Metrópoles, as unidades de campanha avançaram nos últimos três dias de forma considerável. Até 6 de abril, os hospitais tinham 50% da montagem feita. Nesta sexta-feira (9/4), no entanto, as unidades do Autódromo e do Gama chegaram a 70% das obras já concretizadas. Ceilândia está com 75% de conclusão.

Ao todo, os três hospitais de campanha disponibilizarão 300 leitos de UTI para Covid à população.

O diretor-financeiro da Novacap, Rubens de Oliveira, explicou sobre o prazo das obras e como os hospitais vão funcionar.

Confira:

Estrutura

Cada hospital contará com cinco alas, cada uma delas terá 20 leitos. Os espaços também vão dispor de salas de triagem, para procedimentos invasivos, de insumos, de descompressão, de raios-x e de tomografias, além de farmácias e pontos de hemodiálise.

Os hospitais de campanha serão dotados ainda de área de desembarque de ambulâncias; setores administrativo, de TI e de manutenção; espaços de descanso para médicos e enfermeiros, banheiros adaptados para pessoas com necessidades especiais, copa e necrotério. Todos os ambientes contarão com sistema de ar-condicionado e renovação de ar.

O projeto, desenvolvido, acompanhado e fiscalizado pela Novacap, em parceria com a Secretaria de Saúde, foi criado visando resguardar a segurança das equipes e dos pacientes, minimizando o risco de contaminação cruzada.

A montagem de cada uma das estruturas custou entre R$ 6,6 milhões e R$ 6,9 milhões. “As equipes da Novacap estão mobilizadas em prol da conclusão desses hospitais. Hoje, entramos no 14º dia, com evolução significativa no andamento das unidades, que não representam apenas obras como a missão de salvar vidas”, destacou o presidente da Novacap, Fernando Leite.

0
Empresas contratadas

O contrato com as empresas que prestarão o serviço de UTI terá duração de 180 dias. Elas deverão oferecer serviços de gestão integrada de leitos hospitalares, com suporte ventilatório pulmonar e terapia renal substitutiva beira-leito.

As contratadas deverão fornecer manutenção e insumos necessários ao funcionamento dos equipamentos (incluindo computadores e impressoras) e ao atendimento dos pacientes (medicamentos, materiais médico-hospitalares, gases medicinais e esterilização de equipamentos e materiais, além de alimentação, nutrição enteral e parenteral).

Últimas notícias