Os bastidores da cobertura policial de um jeito que você nunca viu

Faraó dos Bitcoins diz a advogado que deseja ser chamado de Moisés

Advogado disse, em vídeo, que Glaidson dos Santos é aquele que "libertou, com um projeto, o povo das amarras do sistema financeiro nacional"

atualizado 22/10/2021 13:41

Glaidson Acácio dos SantosReprodução

Preso em 25 de agosto quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Cryptos, o ex-garçom Glaidson Acácio dos Santos, dono da GAS Consultoria e Tecnologia, mais conhecido como Faraó dos Bitcoins, não está mais satisfeito com o apelido que o deixou famoso em todo o país.

Pelo menos é o que disse um advogado, que gravou um vídeo após passar mais de uma hora no parlatório do complexo prisional de Gericinó, no Rio de Janeiro, conversando com o golpista. Glaidson é acusado de promover uma pirâmide financeira, disfarçada de operações de investimento em criptomoedas, que teria movimentado ilegalmente pelo menos R$ 38 bilhões.

Nas imagens, o advogado relata que recebeu uma “aula” do faraó. “Ele está muito bem e muito confiante. Está com o espírito bom e pediu para que eu fosse porta-voz dele para que parem, para que a imprensa pare de chamá-lo de faraó. Se a imprensa quer botar um título bíblico, que seja de Moisés do bitcoin, porque foi aquele que libertou, com um projeto, o povo das amarras do sistema financeiro nacional”, disse.

Veja imagens:

Glaidson, a esposa dele, a venezuelana Mirelis Zerpa, e mais 15 pessoas foram denunciados pelos procuradores do MPF pelos crimes de organização criminosa, operação de instituição financeira sem autorização, gestão fraudulenta e emissão, oferecimento ou negociação irregular de valores mobiliários.

A pedido da Polícia Federal, a Justiça determinou o bloqueio de R$ 38 bilhões em nome da empresa GAS Consultoria e Tecnologia Ltda. A decisão atinge quatro contas da companhia e outras em nome de Glaidson.

Últimas notícias
Mais lidas