Menino morto em incêndio no DF foi o segundo filho perdido por Luzinete em 2 anos

Em 2018, o irmão de Leonardo, Victor Hugo, não resistiu a complicações causadas por doença rara que atinge o crânio

atualizado 07/10/2020 9:14

Celimar de Meneses/Metrópoles

Luzinete Barbosa, mãe de Leonardo Henrique Pereira da Costa, havia perdido outro filho precocemente antes de um incêndio levar seu caçula nessa segunda-feira (5/10). Victor Hugo Pereira da Costa morreu em 2018, com a mesma idade de Leonardo: 10 anos. Ele tinha hidrocefalia e não resistiu às complicações da doença, que causa acumulação anormal de líquido na cabeça e, geralmente, é acompanhada de perda de habilidades físicas. No caso de Victor Hugo, a enfermidade o impedia de falar e andar.

No enterro de Leonardo, que aconteceu na tarde dessa terça-feira (6/10), os vizinhos lamentaram a tragédia da família.

“A Luzinete é uma mãe excepcional e muito cuidadosa. Se tem alguém que não merecia perder dois filhos é ela”, lamentou a vizinha e amiga da família, Lilian Simões. Com as duas mortes, sobraram apenas dois dos quatro filhos de Luzinete.

Tratamento

Leonardo estava na casa da avó, em Planaltina, para fazer exames no Distrito Federal. Ele morava com a mãe na Cidade Ocidental (GO). Segundo a pastora Maria das Graças, mãe de Luzinete e matriarca da família, o menino “não tinha um rim, era obeso e sofria com falta de ar”.

Na manhã dessa segunda-feira (5/10), o Leonardo morreu asfixiado ao inalar a fumaça provocada pelo incêndio, que destruiu a casa de Maria das Graças. A mãe do garoto sofreu queimaduras de 1º e 2º graus ao tentar socorrer o caçula.

Ainda não se sabe o que ocasionou o incêndio, mas vizinhos viram a criança brincando com fósforos no terreno da residência na noite anterior à tragédia. O laudo definitivo do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) poderá apontar o que causou as chamas, mas só deve ser concluído dentro de 40 dias.

Enquanto isso, a avó de Leonardo, dona do imóvel, deverá ser ouvida na 16ª Delegacia de Polícia (Planaltina), que apura o caso. Com muitas dores em decorrência das queimaduras, a mãe do menino prestará depoimento, provavelmente, no decorrer da semana. Ela segue internada no Hospital Regional da Asa Norte (Hran). Um psicólogo do hospital foi quem contou para Luzinete nessa terça-feira (6/10) que Leonardo havia morrido no dia anterior.

“Garoto querido”

Os amigos e vizinhos presentes no sepultamento de Leonardo foram unânimes em classificá-lo como “muito educado e muito esperto”. Os únicos familiares presentes no enterro da criança foram o irmão mais velho do garoto, Paulo Moisés, acompanhado da mulher.

“É um perda que não tem explicação. O garoto era inteligente, bacana, alto astral, supereducado, querido em todo o nosso condomínio. Ele tinha muitos amigos, sempre iam amigos dele lá em casa. Agora ele tá no céu”, lamentou o confeiteiro Paulo Moisés, 23 anos, irmão mais velho de Leonardo.

Veja fotos:

0

Últimas notícias