*
 

As obras que vão refazer a laje da garagem do Bloco C da 210 Norte, que desabou no domingo (4/2), começaram nesta terça (6). Antes do início do serviço, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil estiveram no prédio para realizar nova vistoria. Eles jogaram terra em alguns pontos onde ainda havia concentração de gasolina, que vazou dos 23 carros esmagados e totalmente destruídos. Embora não haja danos estruturais no edifício, muitos moradores acharam prudente deixar os apartamentos.

De acordo com a empresa responsável pelo serviço, a remoção deve levar cerca de duas semanas. O acompanhamento das obras está sendo feito por uma comissão de moradores, já que a síndica teria sido hospitalizada após passar mal. Pela manhã, a água ainda não havia sido restabelecida. Por precaução, a Companhia Energética de Brasília (CEB) desligou a energia. Uma ligação provisória está sendo providenciada.

O acidente acendeu um sinal de alerta no DF. A presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Distrito Federal (Crea-DF), Fátima Có, disse que existe o risco de desabamento em outros prédios da capital do país. “Há uma recomendação para que a manutenção seja feita nos edifícios, mas isso ainda não é uma lei. Por isso, existe o risco, sim”, afirma.

Segundo Fátima, o processo envolve, por exemplo, a impermeabilização correta e a verificação da existência de ferrugem na estrutura da laje das construções. Um dado nacional serve de alerta, ainda de acordo com a presidente do Crea: seis em cada 10 desabamentos ocorrem por falta de manutenção dos prédios.

Depois que o prédio completa 25 anos, recomenda-se fazer possíveis reparos a cada cinco anos. Se for constatado problema grave na estrutura, deve-se realizar manutenção anualmente. “Por isso, os condôminos devem ficar bem atentos”, ressalta Fátima.

Engenheiro civil especializado em patologia e professor da Universidade de Brasília (UnB), Dickran Berberian alerta que prédios com mais de cinco anos já devem ser inspecionados e, se necessário, ter a manutenção feita. “Qualquer rachadura ou desgaste na estrutura deve ser investigado”, acrescenta.

Veja vídeos do momento em que a garagem desaba:

.