*
 

Terceiro lugar no primeiro turno, Rogério Rosso (PSD) apoiará Ibaneis Rocha (MDB) na disputa pelo Palácio do Buriti. O deputado federal licenciado havia acenado para um possível acordo com o advogado após afirmar que só defenderia candidatos dispostos a se comprometerem, entre outros itens, com a extinção da Agência de Fiscalização (Agefis) e do Instituto Hospital de Base (IHB). Este último órgão, criado na gestão do candidato à reeleição ao Governo do Distrito Federal (GDF), Rodrigo Rollemberg (PSB).

Mais cedo, o senador eleito Izalci Lucas (PSDB) também reafirmou apoio ao emedebista. Na segunda-feira (8/10), em entrevista ao Metrópoles, o tucano declarou que se aliaria ao emedebista pela afinidade de propostas. Ele disse que o alto índice de rejeição a Rollemberg não o credencia a permanecer no comando do GDF.

Rosso entregou a Ibaneis documento com as propostas do PSD, na condição de serem honradas em eventual governo. “Decidimos seguir com ele porque foi o único disposto a incorporar nossas propostas para melhorar a vida do cidadão brasiliense. Ele aceitou cumprir 25 itens”, explicou Rosso.

O pessedista recebeu 169.875 votos no último domingo (7), o que corresponde a 11,24% dos sufrágios válidos. Rosso e Ibaneis se reuniram nesta terça (9) para discutir pontos de convergência dos dois programas de governo.

A participação do partido na possível gestão, contudo, não chegou a ser negociada. Segundo Rosso, que também preside o PSD no Distrito Federal, não haverá “toma lá, dá cá”. “Nosso encontro foi exclusivamente para discutir a convergência de nossos planos de governo. Não houve nenhum tipo de conversa sobre a ida de integrantes do partido caso Ibaneis seja eleito. Essa conversa não existiu e estes assuntos não estão associados num toma lá, dá cá”, frisou.

Outros compromissos
Na segunda-feira (8), Rosso também havia apontado como propostas essenciais a instituição de uma linha de crédito do Banco de Brasília (BRB) para micro e pequenas empresas e mulheres empreendedoras, além da criação de delegacias de atendimento especial à mulher em Ceilândia e Planaltina. “O próximo governador, se quiser nosso apoio, tem que se comprometer nesses pontos”, enfatizou.

Os itens elencados também passam pela educação, com a implantação da faculdade distrital em escolas públicas existentes e a doação de tablets para alunos de ensino médio. “A capacitação é em formato digital. Nem todo mundo tem computador em casa e nem todas as escolas têm equipamentos suficientes”, argumentou.

Leia o documento entregue por Rosso:

Compromissos Rosso_2019 (1) by Metropoles on Scribd


Potencial aliado
Na saúde, além do fim do IHB, Rosso defende a criação de policlínicas em cidades que não têm hospitais e a construção de outra unidade em Ceilândia. Ele informou que preparou 100 ações para o primeiro dia do eventual governo, entre decretos, portarias, resoluções e projetos de lei. As medidas serão entregues para o potencial aliado.