Eduardo Bolsonaro sobre Lázaro: “Que a polícia o encontre”

Parlamentar comentou o caso que tem mobilizado polícias do DF e de Goiás nas redes sociais, nesta sexta-feira (18/6)

atualizado 18/06/2021 12:21

Deputado federal Eduardo BolsonaroRafaela Felicciano/Metrópoles

Por meio das redes sociais, o deputado federal Eduardo Bolsonaro comentou o caso de Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, criminoso que foge há 10 dias das autoridades policiais. O parlamentar afirmou que, se for para deixá-lo vivo, que a polícia o encontre. A publicação foi feita na manhã desta sexta-feira (18/6).

O efetivo policial se concentra no município de Girassol, em Goiás, local onde o criminoso trocou tiros com a polícia e voltou a se esconder na mata.

A Polícia Civil de Goiás divulgou vídeos que mostram a caçada ao assassino em série pela região. Conforme o Metrópoles revelou, durante as diligências, os agentes encontraram pelo caminho vários rituais supostamente deixados pelo psicopata.

Em diversos pontos dentro da mata, foram encontradas velas de sete dias, com algumas oferendas e até pedaços de papel com o nome completo do criminoso. As autoridades suspeitam que o próprio suspeito tenha deixado as velas acesas para pedir proteção espiritual.

Os grupos policiais que fazem incursões na região encontraram uma vela de sete dias nas proximidades de um milharal. Em um dos locais de mata fechada, militares goianos também localizaram uma rã desossada, deixada ao lado de um fação. Parte do animal havia sido comida.

Veja imagens da vela deixada com o nome de Lázaro Barbosa:

Troca de tiros

A força-tarefa trocou tiros com o maníaco na tarde dessa quinta-feira (17/6), após ele ser visto nas proximidades da casa do pai. Dezenas de policiais civis e militares, além de viaturas e três helicópteros foram mobilizados na operação. Um pouco antes do confronto, cães farejadores encontraram um pano ensanguentado, o que reforça a tese de que o criminoso estaria ferido.

Chacina

As digitais de Lázaro foram encontradas na casa da família Vidal. Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15, teriam sido mortos por ele a tiro e facadas. O crime ocorreu na madrugada do dia 9/6, no Incra 9, em Ceilândia.

Ele ainda sequestrou Cleonice Marques de Andrade, 43 anos, esposa de Cláudio e mãe das outras vítimas. O corpo dela foi encontrado no dia 12. O cadáver estava sem roupa e com um corte nas nádegas, em uma zona de mata perto da BR-070.

A morte de Cleonice reflete a crueldade de Lázaro. O criminoso, autor da chacina que tirou a vida do marido e dos dois filhos da mulher, permanece foragido há 10 dias. O maníaco matou a mulher com um tiro na cabeça.

Família Vidal:

0

A vida criminal de Lázaro começou em 2008. Na época, ele foi preso por um duplo homicídio em Barra do Mendes, município baiano que fica a 540 km de Salvador. Ele é natural da cidade.

Segundo a Polícia Civil baiana, o criminoso foi indiciado pelos assassinatos de José Carlos Benício de Oliveira e Manoel Desidério Silva, no povoado de Melancia. O inquérito, concluído e enviado à Justiça, aponta que ele atingiu as vítimas com disparos de espingarda e depois fugiu, apresentando-se dias depois na unidade policial. Após a prisão, ele acabou fugindo para o Centro-Oeste.

No DF, chegou a ser condenado por roubo e estupro. Mas, também, conseguiu fugir do sistema penitenciário em 2016.

No dia 8 de março de 2018, Lázaro foi preso por suspeita de assassinatos ocorridos na Bahia, além de estupro, roubo e porte ilegal de armas no DF. Ele tinha, na época, três mandados de prisão em aberto.

A capacidade de fuga de Lázaro  já é velha conhecida da polícia e do sistema prisional goiano. Em julho de 2018, após uma tentativa de fuga em massa no presídio de Águas Lindas (GO), no Entorno do Distrito Federal, ele foi o único que conseguiu deixar o local.

A ausência do criminoso entre os internos do presídio de Águas Lindas só foi sentida no momento de recontagem dos detentos, após a ação policial no local. No entanto, a essa altura, ele já estava longe.

A fuga ocorreu durante a madrugada, por volta das 2h, de 23 de julho de 2018, segundo a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária de Goiás (DGAP).

Personalidade violenta

Laudo psicológico feito no âmbito de um dos processos contra Lázaro Barbosa, em 2013, constatou que o homem tem características de personalidade violenta, como agressividade, ausência de mecanismos de controle, dependência emocional, impulsividade e instabilidade emocional.

Ainda de acordo com os psicólogos que assinam o documento ao qual o Metrópoles teve acesso, o criminoso tem possibilidade de “ruptura do equilíbrio, preocupações sexuais e sentimentos de angústia”.

O autor, segundo os especialistas, teve o desenvolvimento psicossocial prejudicado devido a agressões familiares, uso abusivo de álcool e drogas, falecimento familiar, abandono das atividades escolares, trabalho infantil e situação financeira precária.

Veja imagens das buscas a Lázaro:

0
0

 

 

Últimas notícias