Dos 400 pacientes com coronavírus no DF, 18 estão em estado grave

O Plano Piloto continua liderando as estatísticas, com 116 casos. Em segundo lugar, vem Lago Sul, com 57, e Águas Claras, com 49

atualizado 03/04/2020 8:43

O GDF divulgou, na manhã desta sexta-feira (03/04), mais um boletim sobre o coronavírus no Distrito Federal. O número de casos em relação à noite de quinta-feira (02/04) se manteve em 400. Dos pacientes, 18 estão em estado grave. Entre eles, a primeira mulher a ser diagnosticada com a doença na capital do país. A vítima de 52 anos segue internada em uma área isolada no Hospital Regional da Asa Norte (Hran). São cinco mortes. A mais recente de um sargento da PM.

O Plano Piloto continua liderando as estatísticas, com 116 casos. Em segundo lugar, vem Lago Sul, com 57, e Águas Claras, com 49. Sudoeste aparece na sequência, com 31 e outros estados (26). A incidência maior está na faixa etária entre 30 a 39 anos (29,8%). Acima de 60 anos, são 14,2%.

Dos pacientes, 147 se recuperaram. E a maioria — 257 — contraíram a infecção leve.  São casos em que o paciente não apresenta pneumonia, fica em isolamento domiciliar e tem acompanhamento da Secretaria de Saúde.

Já as infecções moderadas/graves indicam os internados em leitos gerais dentro de hospitais. Eles sentem falta de ar, mudança na frequência respiratória e problemas na saturação de oxigênio no sangue.

Para tentar conter a doença, o GDF tem anunciado, diariamente, uma série de iniciativas. Na quarta-feira (01/04), por exemplo, o governador Ibaneis Rocha (MDB) ampliou, por meio de decreto, o período de suspensão das aulas. As escolas, universidades e faculdades das redes de ensino pública e privada continuarão fechadas até o dia 31 de maio.

A data para reabertura do comércio também mudou. Passou para 3 de maio. Até lá, continuam suspensas a realização de eventos de qualquer natureza que exijam licença do poder público, atividades coletivas de cinema e teatro, além de academias, museus, parques ecológicos, boates e casas noturnas, como também campeonatos de qualquer modalidade esportiva.
O novo decreto ainda flexibiliza o funcionamento do comércio destinado à alimentação e a serviços essenciais. Os restaurantes e as lanchonetes continuam atendendo apenas por serviços de delivery. Supermercados, padarias e lojas de conveniência podem comercializar seus produtos normalmente, vedado o consumo no interior dos estabelecimentos.As feiras permanentes poderão reabrir suas praças de alimentação, a partir desta sexta, para atendimento ao público seguindo as recomendações sanitárias do momento. Estão entre elas: a distância mínima de dois metros entre as pessoas; o uso de máscaras por funcionários; a disponibilização de álcool em gel 70%; e a vedação de trabalhadores do grupo de risco.
Últimas notícias