Coronavírus: casos confirmados no DF chegam a 400, com 41 na UTI

Das pessoas infectadas com a Covid-19 na capital, há 60 internadas. Balanço foi atualizado na noite desta quinta (02/04)

atualizado 02/04/2020 19:58

Comando Conjunto Planalto realiza a desinfecção da Estação Central do metrô em Brasília, dando continuidade às ações de prevenção e enfrentamento ao coronavírus em locais de grande circulação de passageiros. Daniel Ferreira/Metrópoles

Os casos de coronavírus confirmados no Distrito Federal chegaram a 400 na noite desta quinta-feira (02/04). Os dados foram atualizados às 17h38, em boletim da Secretaria de Saúde.

Desse total, 60 pessoas infectadas com a Covid-19 estão internadas, das quais 41 encontram-se em unidades de Terapia Intensiva (UTI).

A maioria dos pacientes, 228, são homens com idade média de 42 anos.

O DF registrou a quinta morte por coronavírus nesta quinta-feira, no Hospital Maria Auxiliadora, no Gama. A vítima é o sargento da Polícia Militar Romildo Pereira, 50 anos.

0
Medidas

Para tentar conter a doença, o GDF tem anunciado, diariamente, uma série de iniciativas. Na quarta-feira (01/04), por exemplo, o governador Ibaneis Rocha (MDB) ampliou, por meio de decreto, o período de suspensão das aulas. As escolas, universidades e faculdades das redes de ensino pública e privada continuarão fechadas até o dia 31 de maio.

A data para reabertura do comércio também mudou. Passou para 3 de maio. Até lá, continuam suspensas a realização de eventos de qualquer natureza que exijam licença do poder público, atividades coletivas de cinema e teatro, além de academias, museus, parques ecológicos, boates e casas noturnas, como também campeonatos de qualquer modalidade esportiva.

O novo decreto ainda flexibiliza o funcionamento do comércio destinado à alimentação e a serviços essenciais. Os restaurantes e as lanchonetes continuam atendendo apenas por serviços de delivery. Supermercados, padarias e lojas de conveniência podem comercializar seus produtos normalmente, vedado o consumo no interior dos estabelecimentos.

As feiras permanentes poderão reabrir suas praças de alimentação para atendimento ao público seguindo as recomendações sanitárias do momento. Estão entre elas: a distância mínima de dois metros entre as pessoas; o uso de máscaras por funcionários; a disponibilização de álcool em gel 70%; e a vedação de trabalhadores do grupo de risco.

Últimas notícias