DF registra mais de 44,4 mil casos prováveis de dengue: aumento de 22,1%

Números são referentes ao período entre 29 de dezembro e 22 de agosto e comparação diz respeito ao mesmo período de 2019

atualizado 07/09/2020 21:30

FERNANDA CARVALHO/FOTOS PÚBLICAS

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) divulgou em boletim mais recente que 44.452 casos prováveis de dengue no Distrito Federal foram notificados entre as semanas de 29 de dezembro de 2019 e 22 de agosto de 2020. Comparado aos mesmos períodos do ano anterior, o índice representa aumento de 22,1% no número de casos prováveis da doença comparado aos 36.403 casos prováveis de 2019.

A taxa de incidência é de 1.456,26 casos por 100 mil habitantes. Também foram registradas 43 mortes.

Separadamente, as regiões administrativas que mais possuem notificações de casos de dengue são Ceilândia, com 4.969 casos; Gama, com 4.670; e Santa Maria, com 3.727.

0
Tabela incidência dengue DF
Número de casos prováveis e taxa de incidência de dengue (por 100 mil hab.), até a semana epidemiológica 34, segundo região de saúde e regiões administrativas.

Já na divisão feita pela pasta, a Região Sudoeste apresentou 10.889 casos (24,5%), seguida das regiões Sul, 8.397 casos (18,9%), e Norte, 7.243 casos(16,3%). Embora a Sudoeste tenha apresentado o maior número de casos, a Sul apresenta a maior taxa de incidência (3.076,29 por 100 mil habitantes).

Em relação ao monitoramento das cepas do vírus da dengue, os subtipos circulantes no Distrito Federal são o DenV-1, detectado em 382 amostras, e o DenV-2, presente em apenas 32 do total de amostras analisadas, pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Distrito Federal (Lacen-DF). Em 2019, o DenV-2 predominou, sendo detectado em 71,1%, e o Denv-1, em 28,9% do total de amostras analisadas.

Casos graves e óbitos

Entre 29 de dezembro de 2019 e 22 de agosto de 2020, foram confirmados 66 casos de dengue grave (DG) e 641 casos de dengue com sinais de alarme (DSA), com 43 óbitos: 10 no Gama; quatro em Ceilândia, três em Samambaia, Vicente Pires e Planaltina; dois em Sobradinho, Guará, Sobradinho II, Lago Sul, Recanto da Emas, Taguatinga e Santa Maria; e um no Riacho Fundo II, Paranoá, Fercal, Águas Claras, Sudoeste/Octogonal e Plano Piloto (Tabela 3).

No mesmo período do ano passado foram registrados 47 óbitos. (Com informações da Secretária de Saúde do Distrito Federal)

Últimas notícias