Com câmaras frias, Aeroporto de Brasília está pronto para receber vacinas contra Covid-19

O espaço tem área para recebimento de cargas que exijam controle de temperatura que variam de -22°C a -16°C, de 2°C a 8°C e de 15°C a 25°C

atualizado 05/01/2021 16:07

Câmara fria aeroporto Inframérica/Divulgação

O Terminal de Cargas do Aeroporto de Brasília tem câmaras frias para receber vacinas contra a Covid-19 e imunizantes em geral. As cargas farmacêuticas correspondem a 80% de toda a movimentação do armazém. O espaço, hoje, tem capacidade para receber cargas que exijam controle de temperatura que variam de -22°C a -16°C, de 2°C a 8°C e de 15°C a 25°C.

Somente a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Pfizer/BioNtech, que necessita de temperaturas inferiores a -70ºC, não poderia ficar dentro das câmaras que o terminal tem disponíveis. No entanto, há espaço no terminal de cargas para armazenamento de contêineres que vierem nos aviões.

O Aeroporto de Brasília, administrado pela Inframerica, tem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para armazenar esse tipo de carga e conta também com a certidão de regularidade emitida pelo Conselho Regional de Farmácia do Distrito Federal (CRF/DF).

Em 2020, o terminal recebeu mais de 1.677 toneladas de cargas. Destas, 1.047 foram medicamentos – entre eles, diversas vacinas.

Conexão

Além disso, o terminal brasiliense é um dos maiores centros de conexão de voos do país. O aeródromo é o único que liga todas as capitais brasileiras – ao todo, são mais de 45 cidades atendidas. Esta rede de voos pode também auxiliar na distribuição dos medicamentos, caso seja necessário.

Para o gerente de logística da Inframerica, Marcos Trindade, o Aeroporto de Brasília tem experiência no manuseio deste tipo de produto.

“Estamos prontos para auxiliar e ajudar na logística de qualquer tipo de vacina que chegue aos nossos armazéns. São anos tratando esse tipo de produto com qualidade e rapidez. Temos uma equipe excelente e toda a competência e diligência da Receita Federal também”, contou o gerente.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0
Vacina da Pfizer

Acerca dos imunizantes que necessitam de uma temperatura abaixo de -70°C, o terminal de carga tem um pátio com estrutura e geradores capaz de atender mais de 100 contêineres do tipo Envirotainer – um equipamento apropriado para envio de cargas que exigem controle de temperatura e de alto valor agregado.

A fim de manter o clima refrigerado, este tipo de material já chega em embalagens próprias, preparadas para manter a temperatura requerida. Segundo informações da Inframerica, os profissionais que atuam no local estão seguindo rigorosamente todas as medidas de sanitárias no combate à Covid-19.

Em 28 de dezembro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou ter concluído a análise das informações enviadas pelo laboratório farmacêutico Pfizer e concedeu o certificado de boas práticas de fabricação às empresas que participam do processo de produção da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Pfizer/BioNtech.

Mais lidas
Últimas notícias